Déficit corrente supera projeções e atinge US$ 1,6 bi em novembro

Déficit em transações correntes nos 12 meses encerrados em novembro de 2023 somou US$ 33,7 bilhões, o equivalente a 1,56% do PIB

Roberto de Lira

(Shutterstock)

Publicidade

O Brasil teve um déficit de transações correntes de US$ 1,6 bilhão em novembro de 2023, um pouco abaixo do déficit de US$ 1,7 bilhão observado no mesmo mês de 2022, segundo dados do balanço de pagamentos divulgados nesta quarta-feira (3) pelo Banco Central. O resultado veio bem pior que o projetado pelo consenso Refinitiv de analistas, que estimava saldo negativo de US$ 400 milhões.

Na comparação interanual, o superávit comercial brasileiro aumentou US$ 2,0 bilhões, em oposição ao incremento nos déficits em serviços (US$ 921 milhões), na renda primária (US$ 640 milhões) e na renda secundária (US$ 322 milhões).

O déficit em transações correntes nos 12 meses encerrados em novembro de 2023 somou US$ 33,7 bilhões, o equivalente a 1,56% do PIB, ante US$ 33,8 bilhões (1,59% do PIB) no mês anterior e US$ 49,9 bilhões (2,59% do PIB) em novembro de 2022.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Bens

A balança comercial de bens foi superavitária em US$ 6,7 bilhões em novembro de 2023, ante saldo positivo de US$ 4,7 bilhões em novembro de 2022. As exportações de bens totalizaram US$28,1 bilhões, com retração de 1,0% na comparação interanual, enquanto as importações de bens recuaram 9,6%, totalizando US$ 21,4 bilhões.

No acumulado do ano até novembro, o saldo comercial e as exportações de bens registraram, respectivamente, US$ 73,2 bilhões e US$ 315,3 bilhões, números recordes de ambas as séries.

Serviços

O déficit na conta de serviços totalizou US$ 3,6 bilhões em novembro de 2023, ante um déficit de US$ 2,6 bilhões em novembro de 2022. A conta de transportes registrou despesas líquidas de US$ 934 milhões, um recuo de 37,2% na comparação com novembro de 2022, devido a menores gastos em fretes.

Continua depois da publicidade

As despesas líquidas com viagens internacionais alcançaram US$ 527 milhões, um recuo de 17,8% em relação a novembro de 2022, com aumentos de 39,1% nas receitas (para US$ 616 milhões) e de 5,5% nas despesas (para US$ 1,1 bilhão).

As despesas líquidas com aluguel de equipamentos totalizaram US$ 862 milhões, um aumento de 41,5% em comparação a novembro de 2022. As despesas líquidas com serviços de telecomunicação, computação e informações somaram US$ 706 milhões em novembro de 2023, comparativamente a US$205 milhões em novembro de 2022.

Renda primária

O déficit em renda primária somou US$ 4,7 bilhões em novembro de 2023, com aumento de 16,0% comparativamente ao déficit de US$ 4,0 bilhões em novembro de 2022.

As despesas líquidas com lucros e dividendos de investimentos direto e em carteira totalizaram US$ 3,7 bilhões, elevação de 17,1% ante US$ 3,1 bilhões em novembro de 2022.

Nessa comparação, as despesas brutas com lucros e dividendos aumentaram 8,1%, enquanto as receitas reduziram 6,9%. As despesas líquidas com juros somaram US$1,0 bilhão em novembro de 2023, US$133 milhões superiores ao resultado de novembro do ano anterior.

IDP

Os investimentos diretos no país (IDP) somaram ingressos líquidos de US$ 7,8 bilhões em novembro de 2023, ligeiramente superiores aos US$ 7,6 bilhões de novembro de 2022.

No mês, houve ingressos líquidos de US$ 6,3 bilhões em participação no capital e de US$ 1,5 bilhão em operações intercompanhia. Acumulado em 12 meses, o IDP totalizou US$ 57,7 bilhões (2,68% do PIB) em novembro de 2023, ante US$ 57,5 bilhões (2,71% do PIB) no mês anterior e US$ 77,1 bilhões (4,01% do PIB) em novembro de 2022.

Os investimentos em carteira no mercado doméstico totalizaram ingressos líquidos de US$ 2,4 bilhões em novembro de 2023, compostos por ingressos líquidos de US$1,6 bilhão em ações e fundos de investimento e de US$ 833 milhões em títulos de dívida.

Nos 12 meses encerrados em novembro de 2023, os investimentos em carteira no mercado doméstico somaram ingressos líquidos de US$ 13,6 bilhões.

Reservas internacionais

As reservas internacionais somaram US$ 348,4 bilhões em novembro de 2023, um incremento de US$ 8,2 bilhões em relação ao mês anterior. O aumento decorreu, principalmente, de contribuições positivas de variações por preços, US$ 4,6 bilhões, e de variações por paridades, US$ 2,3 bilhões. As receitas de juros somaram US$ 651 milhões, informou o BC.