Custo de mão de obra cresceu 5,7% na zona do euro no 4° trimestre de 2022

Na área da moeda comum, as remunerações por hora trabalhada aumentaram 5,1%, enquanto o componente não salarial cresceu 7,7%

Roberto de Lira

Publicidade

O custo da mão de obra na zona do euro subiu 5,7% no quarto trimestre de 2022 ante o mesmo trimestre do ano anterior, informou nesta sexta-feira (17) o Eurostat, o escritório de estatísticas da União Europeia. No bloco econômico como um todo, a alta foi de 5,8%.

Os dois principais componentes dos custos trabalhistas são os salários, remunerações e custos não salariais. Na área da moeda comum, as remunerações por hora trabalhada aumentaram 5,1%, enquanto o componente não salarial cresceu 7,7% no último trimestre de 2022, face ao trimestre homólogo.

Na UE, os salários e as remunerações por hora trabalhada evoluíram 5,4%, com o componente não salarial subindo 7,2% na mesma comparação

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Por atividade econômica, os custos trabalhistas da zona do euro subiram 4,4% na indústria, 6,9% na construção e 6,2% nos serviços. Na UE, o custo horário do trabalho cresceu 4,9% na indústria, 6,8% na construção e 6,3% nos serviços.

Nas categorias, os maiores gastos na UE ocorreram nos segmentos de mineração (10,6%), atividades científicas e técnicas (8,5%) e alojamento e alimentação (8,3%).