Banco Central anuncia lançamento de nota de R$ 200, que entrará em circulação em agosto

Nova cédula de R$ 200 terá como personagem o lobo-guará; medida visa atender aumento da demanda por dinheiro em espécie durante a pandemia

Priscila Yazbek

"Shutterstock"
"Shutterstock"

Publicidade

SÃO PAULO – O Banco Central anunciou na tarde desta quarta-feira (29) que o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou o lançamento da cédula de R$ 200, que terá como personagem o lobo-guará.

A nova nota deverá entrar em circulação a partir do final de agosto. A previsão é que sejam impressas 450 milhões de cédulas de R$ 200,00 em 2020.

A diretora de administração do Banco Central, Carolina de Assis Barros, concedeu entrevista coletiva, por meio do canal do Banco Central no YouTube, para dar mais detalhes sobre a novidade.

Continua depois da publicidade

Além das novas cédulas, Carolina anunciou que o Banco Central irá imprimir também mais notas de R$ 100, o que deve totalizar um custo de R$ 113,8 milhões aos cofres públicos.

“Dinheiro embaixo do colchão” na pandemia

Segundo Carolina, em momentos de crise como o atual, existe uma tendência de entesouramento de recursos, o que significa que as pessoas guardam mais dinheiro em espécie, ou “embaixo do colchão”, como os próprios diretores do BC explicaram.

A diretora apresentou dados do próprio Banco Central que mostram que a quantidade de dinheiro em espécie em circulação no país encerrou 2018 em R$ 265 bilhões, avançou para R$ 281 bilhões em 2019 e neste ano a projeção era que chegasse a R$ 301 bilhões. Mas, com o aumento do entesouramento, o meio circulante já bateu R$ 342 bilhões na pandemia, valor que representa um recorde histórico.

Continua depois da publicidade

“A gente percebeu três motivos principais para o aumento do entesouramento: pessoas e empresas fizeram saques para formação de reservas; no comércio, de forma geral, houve diminuição das compras após o início das medidas de isolamento; e os beneficiários do auxílio emergencial não retornaram dinheiro ao sistema bancário com a velocidade que esperávamos”, explicou Carolina.

Ela afirmou ainda que a quantidade de papel-moeda em poder do público – dado muito semelhante ao mencionado acima, mas que exclui o dinheiro mantido no caixa dos bancos para saques de clientes – subiu 28,24% durante a pandemia, passando de R$ 216 bilhões em março para R$ 277 bilhões em julho.

“As pessoas tendem a acumular reservas dinheiro em tempos de incerteza. Nós vemos aumentos expressivos de impressão de moedas em casas impressoras e cunhadoras aqui e no mundo todo em períodos como esse”, diz Carolina.

Continua depois da publicidade

Questionada se a criação de uma nova nota não vai contra o movimento de modernização dos meios de pagamento no país e o lançamento do PIX – novo sistema de pagamentos instantâneos do BC -, a diretora do BC disse que a autoridade está apenas atendendo a uma demanda da população. Ela também afirmou que não existe relação entre a nova nota de R$ 200 e um eventual aumento da inflação.

“Não há relação entre a colocação da nova cédula e o sistema de metas para controle da inflação. Nossa inflação está baixa e estável. O que temos é tão somente o Banco Central agindo preventivamente porque a população pode vir a demandar mais numerário [dinheiro em espécie]”, afirma Carolina.

Imagem

A diretora do BC afirmou que a cédula está em fase final de testes de impressão, mas disse que a imagem não será divulgada por enquanto por motivos de segurança.

Continua depois da publicidade

“É uma boa prática internacional de bancos centrais não revelar características das cédulas antes do lançamento oficial. Quando chegar o lançamento, no fim de agosto, vamos entrar com uma campanha de utilidade pública para educar a população sobre o uso da nova cédula”, disse Carolina.

Sobre a escolha do lobo-guará para ilustrar a nota, ela afirmou que a decisão veio de uma pesquisa feita com a população em 2001. Na época, o Banco Central questionou quais animais em extinção os brasileiros gostariam de ver estampados nas cédulas de reais. “A tartaruga marinha ficou em primeiro lugar e está na nota de R$ 2, o mico-leão-dourado ficou em segundo e está na nota de R$ 20 e o lobo-guará, terceiro colocado, agora vai ilustrar a nova nota de R$ 200”, explicou..

Priscila Yazbek

Editora de Finanças do InfoMoney.