China promete passar a tratar empresas estrangeiras de forma igualitária

Empresas multinacionais e governos tem se queixado de "coerção econômica", com o endurecimento da lei antiespionagem no país; investimento estrangeiro direto contraiu 8% no ano passado

Reuters

Ilustração sobre produção industrial chinesa - 17/02/2023 REUTERS/Florence Lo

Publicidade

Pequim (Reuters) – Em meio a esforços para fortalecer suas cadeias industriais e deter a queda de investimentos externos, a China se comprometeu nesta segunda-feira (25) a tratar as empresas estrangeiras da mesma forma que as empresas nacionais.

“A China garantirá totalmente o tratamento nacional para as empresas estrangeiras, de modo que mais empresas estrangeiras possam investir na China com confiança e tranquilidade”, disse o vice-ministro do Comércio, Guo Tingting, durante o Fórum de Desenvolvimento da China, em Pequim.

Guo não deu detalhes sobre como a China garantiria o “tratamento nacional”, ou o tratamento igualitário de empresas nacionais e estrangeiras de acordo com os princípios da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Continua depois da publicidade

“Coerção econômica”

Durante anos, as empresas ocidentais se queixaram de acesso desigual na China, um vasto mercado consumidor e também fornecedor global de matérias-primas e componentes. Os governos ocidentais expressaram preocupação com “coerção econômica”, e várias empresas consideraram a possibilidade de “retirar o risco” de exposição às cadeias de suprimentos e operações da China.

A introdução pela China de uma lei antiespionagem mais ampla, proibições de saída do país e batidas em consultorias e empresas esfriaram ainda mais os fluxos de fundos estrangeiros. O investimento estrangeiro direto contraiu 8% no ano passado.

Continua depois da publicidade

A tensão geopolítica, principalmente com os Estados Unidos, em uma série de questões, incluindo a preocupação dos EUA de que os chips e a tecnologia de inteligência artificial (IA) dos EUA possam ser usados para impulsionar as capacidades militares chinesas, também pesou sobre o sentimento dos investidores.

Em resposta, a China intensificou os esforços para atender às preocupações dos investidores estrangeiros, comprometendo-se a proteger os direitos das empresas estrangeiras e prometendo ampliar ainda mais a entrada em seus mercados.

A China continuará a abrir áreas de alto nível da indústria e das finanças e a criar mais oportunidades de mercado, além de proteger firmemente um sistema de comércio multilateral com a OMC em seu centro, disse Guo.

Continua depois da publicidade

No domingo, o primeiro-ministro Li Qiang disse que a China continuará a se esforçar para criar um ambiente de negócios de primeira classe e para receber empresas de todo o mundo para investir no país.