BC chinês estende incentivos para financiamento de compra do 1º imóvel

Em meio às dificuldades do setor imobiliário, a economia da China provavelmente não irá cumprir a meta de avanço de cerca de 5,5% em 2022

Estadão Conteúdo

(Shutterstock)

Publicidade

O Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) informou nesta quinta-feira (5) que continuará permitindo que governos locais reduzam ou eliminem o piso de taxas de financiamento para compradores do primeiro imóvel se os preços de moradias caírem de forma persistente, em mais uma tentativa de reavivar o setor imobiliário do país.

Em comunicado divulgado em seu site, o PBoC anunciou que os incentivos para a compra do primeiro imóvel serão mantidos se os preços de moradias registrarem quedas mensais e anuais por três meses seguidos.

Os governos locais devem divulgar avaliações de preços de moradias para determinar se mantêm ou não a política de incentivos, detalhou o PBoC.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O BC chinês introduziu uma política semelhante em setembro, na tentativa de estimular a demanda por moradias, ressaltando na ocasião que a flexibilização só ficaria em vigor em 2022.

A renovação da política é o último sinal dos esforços contínuos do governo chinês para tentar reverter a prolongada crise imobiliária que tem pesado na segunda maior economia do mundo.

Em meio às dificuldades do setor imobiliário, a economia da China provavelmente não conseguirá cumprir a meta de avanço de cerca de 5,5% em 2022. Economistas acreditam que o Produto Interno Bruto (PIB) chinês tenha crescido menos de 3% no ano passado.

Continua depois da publicidade

(Com informações da Dow Jones Newswires)