Bancos não estão imunes a riscos e eventos inesperados no longo prazo, diz dirigente do BCE

Para Claudia Buch, isto representa a necessidade de mais ações de gerenciamento de riscos e de supervisão bancária.

Estadão Conteúdo

Fachada do Banco Central Europeu (Shutterstock)

Publicidade

A presidente do Conselho de Supervisão do Banco Central Europeu (BCE), Claudia Buch, afirmou nesta segunda-feira, 12, que os bancos da zona do euro não estão imunes a riscos e eventos inesperados no longo prazo, como mudanças na economia real, riscos geopolíticos, digitalização e ambientes cada vez mais competitivos.

Para ela, isto representa a necessidade de mais ações de gerenciamento de riscos e de supervisão bancária.

“Há uma mensagem clara aqui: os bancos devem continuar altamente focados em gerenciar riscos e melhorar a resiliência e sustentabilidade dos seus modelos de negócio”, enfatizou Claudia Buch, destacando, por exemplo, a oportunidade de aumentar o capital ou adaptar infraestrutura de tecnologia.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A dirigente nota que o ciclo de aperto monetário traz ainda mais incertezas para o cenário do sistema bancário, tendo em vista que seus efeitos não foram completamente transmitidos até o momento e podem afetar em perda de crédito e no comportamento de depósitos.