EXPERT 2020 AO VIVO Diego Barreto, do iFood, responde quais mudanças trazidas pela pandemia no delivery vieram para ficar

Diego Barreto, do iFood, responde quais mudanças trazidas pela pandemia no delivery vieram para ficar

Bristolmyers (BMYB34)

BRISTOLMYERSDRN

error_outline Atualizado às 00h00. Delay 15 min
arrow_downward

315,05

NAN%

315,05

315,05

0,00

Fechamento anterior 315,05
Abertura 315,05
Negócios 0,00
Quantidade 0,00
Volume
Mín — Máx (Dia) 315,05 - 315,05
Variação (Dia) NAN%
Variação (Mês) +0.79%
Variação (2020) +21.64%
Variação (52 semanas) +88.98%

Invista com taxa Zero

Sobre Bristolmyers

Sigla: BMYB34

Tipo: AÇÕES

Setor: Outros

A Bristol-Myers Squibb (BMS) Company é uma biofarmacêutica com sede em Nova York, Estados Unidos. Ela atua na pesquisa, desenvolvimento, licenciamento, fabricação, marketing, distribuição e venda biofarmacêuticos. A Empresa fabrica medicamentos sintetizados quimicamente, ou pequenas moléculas. Também oferece medicamentos produzidos a partir de processos biológicos.

Os produtos da BMS são voltados para diversas classes terapêuticas. Elas incluem virologia, oncologia, imunociência e cardiovascular.

A BMS surgiu em 1989 a partir da fusão de duas outras companhias. Uma delas era a Squibb, fundada em 1858 e especializada em fármacos de alta pureza. A outra empresa era a Bristol-Myers, fundada em 1887, cujo primeiro produto de sucesso foi um laxativo.

Em 1943 a Bristol-Myers comprou a Cheplin Biological Laboratories e converteu a planta para produzir penicilina. Em 1944 a Squibb era a maior fabricante de penicilina no mercado civil dos Estados Unidos. Em 1989 as duas companhias se fundiram.

Em 1999 a BMS foi premiada com a Medalha Nacional de Tecnologia dos Estados Unidos. Em 2002 foi processada por manter monopólio do Taxol, medicamento para câncer.

A empresa esteve envolvida em um escândalo contábil em 2002. A BMS foi acusada de “channel stuffing”, pratica de inflar os números de vendas. O escândalo resultou em uma atualização significativa das receitas de 1999 a 2001. A empresa  pagou uma multa de US$ 150 milhões.

Em 2006 a empresa foi alvo de uma nova investigação da Federal Trade Coomission. Foi acusada de conluio e de enganar autoridades antitruste. Acabou pagando multa de US$ 2,1 milhões.

Em 2009 a empresa se reestruturou, focando o negócio em produtos farmacêuticos e biológicos. Em 2018 a BMS teve receita bruta de US$ 22 bilhões e receita líquida de US$ 4 bilhões.

A empresa está listada na B3 com a BDR BMYB34. Também está no mercado fracionado (BMYB34F).

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na XP Investimentos – é grátis!