Número de coaches certificados no Brasil não para de crescer

Sob o comando de Sulivan França, a SLAC – Sociedade Latino Americana de Coaching, já formou mais de 22 mil coaches

Coaching já deixou de ser um tabu há muito tempo. Se nas décadas passadas ainda existia quem ficasse com o pé atrás e torcesse o nariz para as sessões, hoje o número de pessoas que procuram os cursos não para de crescer. Segundo pesquisa realizada pela consultoria PwC, de 2009 a 2012, o número de coaches certificados no Brasil subiu de 350 para 1.100. Mesmo tendo quase triplicado, o país ainda está bem atrás da América do Norte e da Europa, onde há uma média de 40 coaches por cada milhão de habitantes.

Buscando uma melhor colocação no trabalho, uma mudança de status, ou mesmo uma nova oportunidade no mercado, centenas de pessoas lotam as salas de aulas atrás de um aprendizado diferente, que possa ajudá-los a dar o próximo passo. Foi assim com Sulivan França, fundador e presidente da SLAC – Sociedade Latino Americana de Coaching, principal instituto do segmento.

Em 1999, levado por um amigo para assistir um curso, ficou encantado com as possibilidades daquele novo mundo e não o largou mais. Desde então, passou a estudar cada técnica e detalhe do processo, tornando-se um dos coaches mais gabaritados do Brasil.

França tem no currículo diversas certificações internacionais e é reconhecido como uma das principais autoridades quando o assunto é comportamento humano. “Sempre gostei de trabalhar com o ser humano e entender como ele funciona. O que mais me motiva nessa área é ver como pode se desenvolver e conquistar suas metas a partir de um trabalho único que executamos. Meu foco é sempre levá-lo ao resultado buscado”, afirma.

Excelência comprovada

Sulivan não fala da boca para fora. No mercado há quase 15 anos, a SLAC já formou mais de 22 mil novos coaches. A grande maioria deles segue atuante no mercado e muitos, inclusive, se tornaram instrutores da própria Sociedade Latino Americana de Coaching. “Quando ministro as aulas estou sempre atento àqueles que mais se destacam. Acho que boa parte do sucesso do Instituto se deve a isso: formamos nossos treinadores em casa, ensinando nossos valores, crenças e metodologia única. Eu tenho certeza que esse é um dos fatores que impulsionam nosso crescimento no mercado”, afirma França.

As centenas de coaches formados por Sulivan se destacam também em grandes corporações e fora delas, em empresas próprias, se descobrindo e reinventando graças ao curso. “Quando vejo essas pessoas se tornando líderes, ou mesmo as equipes em grandes corporações sendo mais bem aproveitadas, ampliando suas habilidades, eu me sinto bastante orgulhoso. Acho que estou transmitindo a eles o encantamento e as possibilidades que o Coaching me passou anos atrás”, diz o profissional.

Os programas ministrados pela SLAC a colocam na posição de a elite do Coaching no Brasil. Já são mais de 40 mil pessoas impactadas diretamente e outras 120 mil indiretamente, com os programas do Instituto. Os clientes, entre eles mais de 130 companhias espalhadas pelo país, aprovam os métodos da Sociedade Latino Americana de Coaching quase em sua totalidade. São 98% de alunos satisfeitos com os conteúdos apresentados e 96% de aprovação aos Master Coaches Trainers. O apoio é tanto que 100% dos usuários recomendariam os produtos e serviços da instituição para outros colegas e amigos.

“Como se pode imaginar, os resultados recebidos pelos clientes de Coaching têm sido muito amplos em diversas áreas. Está comprovado, em vários estudos independentes, que o Coaching proporciona suficiente retorno sobre o investimento", explica Sulivan França. “Nossos números são altamente relevantes e nos colocam em uma posição de destaque no mercado. Somos referência em alta qualidade no ensino do Coaching, temos reconhecimentos internacionais e, acima de tudo, pessoas que conhecem o nosso trabalho, já passaram por ele, e o indicam para as outras porque sentem confiança em nós”, diz o presidente da SLAC.

Team Coach

O modelo padrão de Coaching, com foco no desenvolvimento de competências se tornou um excelente método. Mas não dava para parar por ai. Como resultado da evolução do tema, alguns dos clientes passaram a pensar no coach como um personal trainer mental para os seus colaboradores e negócio. Por isso, a SLAC está constantemente adicionando novos programas e serviços a fim de atender estes desafios e demanda.

Um desses novos cursos à disposição do mercado é o Team Coach in company, técnica que leva para dentro das empresas um aprendizado diferenciado, com foco na melhoraria dos resultados das equipes, por meio do aumento do desempenho. Atualmente, as companhias, independente do porte, ramo de atividade e nacionalidade, possuem um grande desafio de produzir mais com os recursos que têm à disposição e, para isso, necessitam trabalhar três fatores fundamentais: alta capacidade de gestão, objetivos claros e desafiadores, e uma liderança eficaz, capaz de motivar e inspirar, promovendo maior engajamento, propósito e pertencimento.

“Alta capacidade de gestão é fundamental a qualquer equipe que deseja ir além, ser um diferencial dentro da empresa, fazer mais com menos”, diz Sulivan França. “Quando falamos de gestão, falamos, necessariamente, de planejamento, priorização de demandas – inclusive sabendo a hora de rejeitar algumas delas – e clareza no entendimento dos reais motivos pelo quais estamos fazendo determinado trabalho. Isso tudo é tão óbvio quanto negligenciado, mas é condição básica para um time qualificado”, afirma o presidente da SLAC.

Mas, quando é hora de escolher o team Coaching? Para Sulivan França é quando a companhia percebe que algumas das perguntas mais simples do dia a dia não estão sendo respondidas. As pessoas tem clareza dos objetivos da empresa? E dos seus objetivos? Há algum link entre eles? Quanto os líderes estão realmente lançando mão de metas desafiadoras? Quanto tempo se “perde” olhando para as atividades dos liderados, procurando desafiá-los? Questões fundamentais para o desenvolvimento, porém que ficam muitas vezes esquecidas.

“Quando priorizamos as atividades corretas e dizemos não para as que não julgamos essenciais num primeiro momento, criamos foco e energia sobre o que realmente importa mantendo a disciplina estratégica. Um desafio fácil de ser realizado, não é desafio. E para manter as pessoas focadas nos resultados e constantemente motivadas é crucial que elas sejam sempre desafiadas e que tenham clareza do que e do porque estão fazendo”, ressalta França. “Podemos ir além, criando metas compartilhadas, gerando comprometimento e senso de responsabilidade. Com o tempo, as batalhas individuais serão vencidas ou perdidas, mas o que de fato impulsiona ainda mais o sucesso da empresa são as novas formas de trabalho conjunto”, garante.

O treinamento, oferecido em larga escala e 100% in company, já mostra dados de sucesso. Em algumas companhias, antes da aplicação da metodologia, o grupo realizava 50% dos briefings no mesmo dia em que recebia a demanda. Na medição realizada após o curso, esse percentual aumentou para 78%, gerando mais agilidade no processo. Na produtividade, o crescimento observado foi de 20%, principalmente na etapa da especificação das demandas.

Na média, 84,5% das equipes concordam que a metodologia contribuiu para a melhoria do seu trabalho, colaborando para que tenham mais foco no resultado. O mesmo ocorre com a clareza no entendimento: mais de 85% destacaram que a compreensão adequada das demandas evita retrabalhos. A maioria das equipes diz que as aulas ajudaram as áreas a definir critérios claros do que é prioritário. A aceitação de metas compartilhadas também foi ótima, com 85,8% de aprovação. De acordo com comentários dos liderados ela promove o senso de equipe e um ambiente de constante aprendizado e objetivos comuns.

Segredos da liderança

O team Coaching só ressalta algo que as empresas já deviam ter percebido há algum tempo: a importância de um líder bem formado para comandar, entender, planejar e crescer junto com o time. “O líder precisa incentivar, motivar, levar a entender que aquela atividade é tão importante e fundamental como qualquer outra e mostrar o reflexo dela nos resultados alcançados pela organização”, diz França. “O líder tem de estar junto na hora de planejar, priorizar e entender as demandas que chegam. Tem de ajudar a definir o que fazer primeiro e até o que não fazer”, pondera.

Mas como identificar um líder? “Existem pessoas que já nascem com esse espírito. Mas outras podem, e precisam, ser treinadas para isso. É possível transformar qualquer pessoa em uma liderança de sucesso desde que ela esteja empenhada para isso”, garante França. Para ele, dentre os principais atributos que devem ser desenvolvidos, estão planejamento, a organização, a capacidade de se comunicar, de inovar, além da habilidade em gerenciar, treinar e desenvolver outros profissionais.

De acordo com o especialista, desenvolver essas características antes restritas apenas aos líderes é essencial para se evoluir na carreira, mesmo que o objetivo não seja conseguir um cargo de liderança. “Hoje, as empresas estão com a filosofia de fazer mais por menos. Elas querem crescer com o menor custo possível, então, é interessante que os profissionais desenvolvam o espírito de liderança, mesmo que não assumam cargos de gerência”, explica.

Ainda segundo França, conquistar essas competências, além de ser mais um componente que ajuda a manter um emprego, pode auxiliar o profissional a se destacar na empresa e a conseguir, por exemplo, uma promoção. “Para uma companhia, é muito mais interessante ter um profissional com iniciativa, com poder de influenciar pessoas, de motivar e agregar, do que um simples cumpridor de tarefas”.

O especialista ainda deixa um recado claro: “Não é só empresa que precisa de planejamento estratégico. O ser humano também. Só não adianta, num mundo globalizado, de mudanças constantes e cada vez mais rápidas, estabelecer prazos longos demais”, pondera. “Seis meses é suficiente, no máximo um ano”, diz ele. “É o tempo de conquistar, avaliar, rever alguns pontos sem o risco de patinar na própria projeção.”

O que vem por ai

Pronta para 2016, a Sociedade Latino Americana de Coaching está cheia de novidades para o próximo ano. Depois de mudar de escritório em setembro deste ano e do lançamento do aplicativo SLAC para celulares e tablets, o presidente do Instituto explica que a missão agora é expandir ainda mais os cursos Brasil afora. “Estou projetando para o ano que vem o lançamento do projeto Business Partners. Basicamente, é um sistema de parcerias, uma em cada estado, para cursos de 80 horas de desenvolvimento, palestras e workshops”, explica França. “Não se trata de franquias da SLAC, longe disso, são parceiros que vão ajudar a ampliar nosso braço de trabalho, utilizando nossas ferramentas e expertise.”

E o crescimento da companhia não deve ficar só por aqui. Para 2016 a SLAC já prevê sua chegada a outros países, como o Chile. “Em junho de 2014 nós adquirimos a HRTools, que era uma fornecedora nossa de ferramentas e hoje faz parte do Grupo SLAC. Com a iniciativa de expandirmos nossa atuação, em março deste ano chegamos a Santiago por meio da HR e eu vejo que ainda há muito potencial para crescermos por lá”, conta Sulivan. “Em outubro eu estive na região para um curso com centenas de coachees e devo voltar em breve, pois queremos deixar cada vez mais marcado na América Latina o nome da SLAC”, finaliza.

Elite do Coaching no Brasil

Quer saber mais informações, preencha o formulário abaixo.

100% seguro - sem spams

*Patrocinado pela SLAC Coaching