AO VIVO Confira as oportunidades de carreira no mercado de ações

Confira as oportunidades de carreira no mercado de ações

Reforma da Previdência engavetada: o futuro do País está em risco

Preferimos acreditar em histórias reconfortantes do que em verdades inconvenientes.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

*Por Equipe do Terraço Econômico

O atual governo desistiu de votar a Reforma da Previdência. Nós, do Terraço Econômico, não tivemos nenhuma dúvida de abraçar essa importante reforma, desde o início das negociações políticas em 2016. Fomos acusados de sermos governistas, rentistas, temeristas, entre outros “istas”. Contudo, o que nossos críticos não perceberam que essa agenda pouco tem a ver com o governo vigente; apoiaríamos se fosse no governo Dilma ou Lula, ou qualquer futuro candidato que tentar se eleger em 2018.

A Previdência do jeito que está pode sim quebrar o Brasil. Gastamos com a Previdência muito mais em relação do PIB do que nações com população idosa considerável, como é o caso do Japão. Em relação ao nosso próprio orçamento, gastamos quase 40% das despesas primárias com a Previdência, com tendência crescente. Sem a Reforma, as outras áreas (saúde, educação, segurança) certamente serão afetadas e terão menos recursos.

PUBLICIDADE

Claro que você pode falar dos casos de desvio de corrupção e inadimplências históricas de empresas junto à Previdência Social. Você tem toda a razão. Acontece que mesmo retornando esses valores para a conta, o problema estrutural não é sanado; haverá um certo alívio no déficit previdenciário para um ou no máximo dois anos.

O remédio será muito mais amargo no futuro. Mesmo fazendo a Reforma do que jeito que estava (remendada, diminuída), já se falava em fazer uma nova Reforma em 5 a 10 anos. Agora sem essa Mini Reforma, o cenário é ainda mais incerto. E de uma coisa estamos certos: a conta sempre vem, talvez não para nós – que estamos imersos numa briga sem precedentes e inútil entre esquerda x direita – mas para nossos filhos e netos que pode não ter como se aposentar pela Previdência Social.

Preferimos acreditar em histórias reconfortantes do que em verdades inconvenientes.

Terraço Econômico

O Terraço Econômico é um espaço para discussão de assuntos que afetam nosso cotidiano, sempre com uma análise aprofundada (e irreverente) visando entender quais são as implicações dos mais importantes eventos econômicos, políticos e sociais no Brasil e no mundo. A equipe heterogênea possui desde economistas com mestrados até estudantes de economia. O Terraço é composto por: Alípio Ferreira Cantisani, Arthur Solowiejczyk, Lara Siqueira de Oliveira, Leonardo de Siqueira Lima, Leonardo Palhuca, Victor Candido e Victor Wong.