O gerente deve dar feedback verdadeiro

Um grande problema acontece quando o gerente não dá um feedback verdadeiro a seus funcionários. Assim como aconteceu na Copa do Mundo, isso dá aos profissionais a falsa ideia de que são melhores que seus pares e concorrentes. Entretanto, quando a disputa acontece, a realidade se impõe, e a derrota gera muita frustração e desilusões.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

Um grande problema acontece quando o gerente não dá um feedback verdadeiro a seus funcionários. Assim como aconteceu na Copa do Mundo, isso dá aos profissionais a falsa ideia de que são melhores que seus pares e concorrentes. Entretanto, quando a disputa acontece, a realidade se impõe, e a derrota gera muita frustração e desilusões.

Certa vez, conheci um executivo que somente recebia feedbacks positivos.

Isso o fez acreditar que estava em primeiro lugar na lista de promoções para a gerência do setor. Entretanto, quando o gerente da área saiu, ele foi informado que os feedbacks que recebia não eram verdadeiros. As pessoas supunham que ele era um “protegido” do antigo gestor e, para não contrariá-lo, davam notas falsas em suas avaliações.

Quando soube que não era um profissional nota 10, sentiu-se humilhado, e a frustração em pouco tempo o fez sair da empresa.

Há chefes que têm medo de dizer a verdade a seus funcionários sobre o desempenho deles. Por vezes, até mesmo os colegas de trabalho temem ser sinceros a respeito e evitam o assunto, para manter o bom relacionamento.

Como consequência, os líderes não usam essa competência de maneira apropriada para cumprir seu principal propósito, que é formar outros líderes.

Para aprender a dar feedbacks, o gerente deve ter uma preocupação profunda em respeitar as pessoas. Entretanto, esse respeito não pode ultrapassar o limite no qual ele simplesmente não avalia de maneira verdadeira seus funcionários. Tão grave quanto não conhecer as melhores práticas de feedback, é o líder utilizá-lo para dar ao liderado uma falsa sensação de alto desempenho.

É preferível criar condições para que as pessoas aprendam a lidar com frustrações do que criar expectativas irreais.

Sugiro que os gerentes utilizem todos os recursos possíveis para aprender a dar feedbacks: livros, palestras, workshops e coachings. E, principalmente, troquem ideias com líderes mais experientes e hábeis nessa competência.

Considere, como possibilidade, que uma pessoa e um time de alta performance possuem grande capacidade de receber e assimilar uma quantidade elevada de feedbacks. Desse modo, os indivíduos não criam ilusões a seu próprio respeito e concentram-se em se desenvolver para superar ou, ao menos, alcançar o nível de outras pessoas com a mesma idade, experiência e profissão.

Como líder, pense no futuro do indivíduo e nos desafios que irá enfrentar. Ele fracassará, se não estiver devidamente preparado, intelectual, física e emocionalmente.

Portanto, ser verdadeiro na hora do feedback é uma grande responsabilidade.

O mundo precisa de pessoas preparadas em todas as áreas, e elas não existirão, se não souberem com realismo tudo que precisam fazer para se desenvolver e chegar onde tanto desejam.

Dizer isso é um papel difícil e fundamental de todo líder.

Vamos em frente!

Silvio Celestino

É coach de gerentes, diretores e CEOs desde 2002. Também atende a executivos que desejam assumir esses cargos. Possui certificação e experiência internacional em coaching. Foi executivo sênior de empresas nacionais e multinacionais na área de Tecnologia da Informação. Empreendedor desde 1994.