Fechar Ads

Não faça aos 40 o que uma pessoa de 20 pode fazer

Um grande desafio na carreira é manter-se atualizado. Normalmente, os 40 anos são uma barreira difícil de transpor para aqueles que não respeitam a passagem do tempo. Muitos ainda trabalham com ferramentas e, pior, com os pensamentos que tinham quando estavam com 20 anos. E, então, de repente, perdem o emprego. Nesse momento, sentem-se injustiçados e em um mundo estranho, pois tudo aquilo que sabiam fazer perdeu o valor de uma hora para outra, e eles não têm a menor ideia de como conquistar uma nova posição.
Por  Silvio Celestino
info_outline

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Um grande desafio na carreira é manter-se atualizado. Normalmente, os 40 anos são uma barreira difícil de transpor para aqueles que não respeitam a passagem do tempo. Muitos ainda trabalham com ferramentas e, pior, com os pensamentos que tinham quando estavam com 20 anos. E, então, de repente, perdem o emprego. Nesse momento, sentem-se injustiçados e em um mundo estranho, pois tudo aquilo que sabiam fazer perdeu o valor de uma hora para outra, e eles não têm a menor ideia de como conquistar uma nova posição.

A causa disso é que esses profissionais se colocaram excessivamente a serviço da empresa por um período longo demais, e se fecharam ao que ia pelo mundo. Quando o desemprego ocorre, é como se a porta desse mundo se abrisse e a pessoa fosse forçada a viver nele. Nem sempre o resultado é positivo.

É verdade que existe muita injustiça com profissionais acima dos 40 anos, e que as empresas dão preferência para pessoas mais novas em várias posições. Mas há muito que o indivíduo pode fazer por si mesmo para evitar ficar fora do mercado após essa idade.

Em primeiro lugar, você deve evitar pensar em seu networking somente quando ficar desempregado. Para isso, inverta seu jeito de ver a vida profissional. Afinal, não é só você que deve fazer parte do plano da empresa, mas ela também deve fazer parte do seu plano de carreira. Ficar atrelado a uma organização desatualizada, com líderes velhos e anacrônicos, pode ser terrível para sua profissão. Uma companhia que não o incentiva a desenvolver-se e é formada por líderes muito duros com você influencia negativamente o seu valor no longo prazo. Além de deixá-lo com baixa estima, pode, de fato, torná-lo desatualizado e inadequado para o mercado. Procure grupos de sua área de atuação em redes sociais, principalmente no LinkedIn. Faça conexões e tenha uma agenda rigorosa de contatos pessoais. Use principalmente sua hora de almoço e seu café da manhã. Até mesmo aos sábados, se necessário.

Também participe de eventos de seu setor ao menos uma vez por ano. Mas não deixe que a empresa ocupe 100% de seu tempo mental. Isso só interessa a ela.

Outro ponto importante é manter-se atualizado quanto à tecnologia. Ainda hoje encontro pessoas com mais de 40 anos que são resistentes a coisas simples, como redes sociais e aplicativos no celular, criticam aqueles que as utilizam e não entendem como podem ser úteis no trabalho e em suas carreiras. As empresas se tornaram anacrônicas quanto ao uso das novas tecnologias, mas o profissional não precisa fazer o mesmo. Uma pessoa que não possui perfil nas redes sociais será interpretada como alguém desatualizado, com motivos para esconder-se e totalmente fora da realidade. No mesmo barco, estão aqueles que, embora nas redes, não sabem parametrizá-las para seus interesses. E esse é apenas um aspecto da tecnologia que, hoje, trata de uma vastidão de temas que colocam em risco profissões a todo instante. Na verdade, quem não se mantém atualizado tem dificuldade até para pegar um táxi.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Enfim, não deixe que, ao chegar aos 40, sua carreira seja a respeito de um único assunto, e seu conhecimento tenha se tornado dispensável por causa de uma nova tecnologia. Tampouco acredite que sua empresa sabe o que faz para desenvolvê-lo. Seja responsável por manter-se atualizado. Observe com muito rigor para onde vai o mundo e, principalmente, se alguém de 20 anos pode fazer o que você faz. Se a resposta for positiva, saia correndo para modernizar-se, enquanto há tempo. Afinal, a expectativa de vida está aumentando e, cada vez mais, ela começa aos 40 anos. Faça valer a pena! Vamos em frente!

Silvio Celestino É coach de gerentes, diretores e CEOs desde 2002. Também atende a executivos que desejam assumir esses cargos. Possui certificação e experiência internacional em coaching. Foi executivo sênior de empresas nacionais e multinacionais na área de Tecnologia da Informação. Empreendedor desde 1994.

Compartilhe
Mais sobre

Mais de Sua carreira, seu maior investimento

Sua carreira, seu maior investimento

Quais profissões estarão em alta em 2018?

A principal recomendação para qualquer profissional em 2018 é: seja rápido.   As maiores oportunidades de prosperidade e sucesso de carreira ocorrem nas chamadas novas fronteiras, isto é, nos mercados que nunca existiram antes e surgem principalmente em decorrência de uma nova onda tecnológica. A dificuldade de reconhecê-las é enorme, pois o sucesso de algo novo não é visível para a maioria e representa riscos elevados para os iniciantes: assim, as décadas de 1920 e 30 foram momentos extraordinários para quem se envolveu com a indústria da aviação. Já os anos de 1950 e 60, o foram para quem trabalhou na indústria da computação de grande porte. A década de 1980 foi o início da era de ouro dos microcomputadores; já o fim dos anos 90 e início de 2000, para a internet, os celulares e, depois, as redes sociais. 
Sua carreira, seu maior investimento

Feedback não é para ser traumático

Já vi indivíduos traumatizados por conta de um feedback. No caso mais grave, conheci uma pessoa que teve uma hemorragia provocada pelo estresse de um feedback feito de maneira torturante: ela tinha de ficar de frente para uma parede e de costas para seu chefe e colegas de trabalho que lhe dariam os “feedbacks“, e ela só podia ouvir. Não sei quem foi o idealizador dessa prática infeliz, mas, para minha surpresa, foi aplicada até mesmo em empresas juniores no Brasil.
Sua carreira, seu maior investimento

Quem não delega não lidera

A dificuldade em delegar ocorre frequentemente no indivíduo que foi alçado há pouco a um cargo gerencial. Embora eu já tenha visto esse problema em diretores e até presidentes de empresas. Sempre que um líder não delega acaba por sobrecarregar-se, o que é motivo de muito estresse e cansaço para si mesmo. 
Sua carreira, seu maior investimento

Pare de odiar quem faz follow-up

Seria uma falta de sinceridade minha não iniciar este texto com uma confissão: eu odeio follow-up! Não gosto de fazê-lo e muito menos que façam sobre meu trabalho. Entretanto, são notórios os problemas, as falhas e os erros que ocorrem quando o follow-up não é realizado. E, portanto, apesar de meu sentimento a respeito dessa competência de liderança, a exerço e permito que outros a exerçam sobre meu trabalho, sem reclamar.
Sua carreira, seu maior investimento

O plano de vida precede o de carreira

Um grande problema que observo nos executivos é a ausência de um plano de vida que oriente seu plano de carreira. Quando isso ocorre, há um hiato entre o que ele atingirá profissionalmente e a vida que realizará. Esse hiato pode ser intransponível se ele deixar para preenchê-lo ao fim de sua carreira profissional. Essa possibilidade por si só deveria ser motivo de angústia, incerteza e preocupação, entretanto, a maioria dos indivíduos a ignora.