Por que o Alaska reduziu posição em Magalu? E por que a Persevera não abre mão da Qualicorp?

Henrique Bredda e Fernando Fontoura explicam seus relacionamentos de longa data com Magazine Luiza e Qualicorp

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

SÃO PAULO — Gestores de fundos de ações estão sempre em um relacionamento sério com algum papel — ou alguns papéis. A essência do trabalho é escolher empresas boas e esperar que elas tragam os resultados esperados. E isso geralmente leva tempo. 

Mas relacionamentos mudam, e no caso de um gestor e uma ação é a mesma coisa.  

Neste episódio do Stock Pickers, gravado na FSB, trouxemos dois gestores para falarem de suas longas relações com papéis.  

Henrique Bredda, do Alaska, explica por que diminuiu significativamente sua posição de Magazine Luiza (MGLU3); e Fernando Fontoura explica porque ainda não “abandonou” a Qualicorp (QUAL3), empresa que está em seu fundo desde que ele foi criado. Desde então, o papel triplicou de valor — mas não saiu da carteira.

Apresentado por Thiago Salomão, analista da Rico Investimentos, o Stock Pickers vai ao ar toda quinta-feira às 17h. Você pode seguir e escutar pelo Spotify, Spreaker, Deezer, iTunes e Google Podcasts, ou fazer o download clicando aqui.

 

Renato Santiago

Renato Santiago é jornalista, coordenador de conteúdo e educação do InfoMoney