Por que você deve acompanhar de perto as pesquisas presidenciais em Minas Gerais

Minas Gerais pode trazer informações preciosas sobre o que acontecerá no resto do país Historicamente, seus resultados eleitorais se aproximam do agregado nacional. Isso pode refletir um pouco da democrafia do estado, que mistura um pouco do Nordeste e do Sudeste em uma mesma região. 

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

Minas Gerais é a “Ohio Brasileira”!

Ohio é considerada uma espécie de proxy dos EUA do ponto de vista eleitoral. Os resultados do Estado refletem bem o que acontece no agregado do país. Por isso, jornalistas, analistas e políticos americanos ficam de olho aberto no que acontece na região.

Assim, tentei replicar o exercício e estimar qual Estado refletia melhor o que acontecia no Brasil. Peguei todas as eleições e candidatos desde 1998 e calculei a distância média entre os resultados de cada estado e o agregado nacional.

O Estado que apresentou resultados mais próximos ao resto do país foi Minas Gerais com 2,7 p.p. de diferença por candidato. (ver gráfico abaixo). E talvez mais importante seja o fato de que a variação dessa distância em cada ano eleitoral não é grande, mantendo certa consistência.

Existem mil interpretações possíveis para esse fato. A que eu gosto mais é que a demografia do Estado resume um pouco do Brasil. O norte do Estado seria semelhante ao Nordeste, enquanto o Sul teria um pouco do Sudeste. E usualmente é na diferença entre essas duas regiões que a eleição é decidida. Então, natural que um único lugar que concentre essas duas forças seja um microcosmo do país.

Quer investir com corretagem ZERO na Bolsa? Abra agora sua conta na Clear!

Se isso acontecerá esse ano, eu não sei. Mas, é um fato que o ano em que MG mais se distanciou do resultado nacional foi 2014 quando na média dos candidatos, o erro foi de 4,7 p.p., o que é suficiente para que eu olhe com muita atenção seus números.

E atenção!! Amanhã sairá uma pesquisa Ibope para o Estado. No último Datafolha, ainda do dia 19/09, Bolsonaro liderava no Estado por 29% x 16% em relação a Haddad, mesmos números do Ibope do dia 17/09. No 2º turno, segundo Datafolha, estava 41 x 41. Olho vivo amanhã. Não é uma pesquisa nacional, mas pode ser algo muito próximo a isso.

image003

PUBLICIDADE

*Ivo Chermont é sócio e economista-chefe da Quantitas Asset

As opiniões do autor refletem uma visão pessoal e não necessariamente da Instituição Quantitas Asset

 

Ivo Chermont

Sócio e Economista-chefe da Quantitas Asset