O que está em jogo nas eleições do Senado dos EUA – e como isso pesará para o presidente eleito

A qualquer um dos dois partidos, basta vencer 7 cadeiras das 12 em disputa para assumir o Congresso

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
senado americano capitol
(Getty Images)

O Senado americano hoje é de maioria Republicana, com 53 em um total de 100 membros, contra 45 Democratas e 2 independentes.

Em 2020, serão 35 cadeiras em jogo, sendo 23 pertencentes ao Partido Republicano e 12 ao Democrata.

Ou seja, caso os Democratas consigam roubar 5 cadeiras, terão maioria também no Senado.

PUBLICIDADE

E por que isso é tão importante? Porque caso Joe Biden consiga a Casa Branca, dado que a Câmara será Democrata, o partido conseguiria a famosa “Onda azul” ganhando integralmente os dois poderes, legislativo e executivo.

Isso é fundamental para que o Presidente consiga aprovar parte das suas promessas de campanha. O mesmo serve aos Republicanos. Caso Biden vença, perder o Senado seria um desastre, uma vez que eles seriam minoria em todas as esferas de poder.

Desde 1970, um presidente que trabalhe com um Congresso dividido ou de outro partido na Casa e no Senado, só consegue aprovar cerca de 1/3 dos projetos enviados aos parlamentares. Essa fração sobe de maneira relevante quando você tem deputados e senadores do seu lado. É raro, mas acontece.

Das 35 eleições estaduais, cerca de 23 têm um franco favorito, seja democrata ou republicano. Restam 12 disputas de fato, sendo 7 Republicanos e 5 Democratas.

Alabama (R), Arizona (D), Colorado (D), Georgia 1 (R), Georgia 2 (R), Iowa (R), Kansas (R), Maine (D), Michigan (D), Montana (R), North Carolina (D) e Texas (R).

Vamos ao placar atualizado antes de olhar para essas 12 cadeiras. Considerando os senadores que não estão em disputa + aqueles que estão seguros para cada partido, ficaríamos com 43 Republicanos, 43 Democratas e 2 Independentes.

A qualquer um dos dois partidos, basta vencer 7 cadeiras das 12 em disputa.

Olhando para as pesquisas e o histórico político de cada Estado, acreditamos que 5 das 12 estão muito próximas aos Republicanos e 4 muito próximos dos Democratas, deixando o Senado com 48 x 47 a favor dos Republicanos.

Restariam em disputas realmente empatadas três Estados, Iowa, Montana e North Carolina. Embora seja extremamente difícil cravar o que acontecerá nesses Estados, os Republicanos têm maiores chances em dois dos três (Iowa e Montana) e os Democratas mais chance de obter uma dessas vagas (North Carolina). Ou seja, a disputa encerraria em 50 x 48 x 2, mantendo o poder do Senado nas mãos dos Republicanos.

Com a bandeira de aumento dos impostos corporativos de Biden, a vitória Republicana no Senado reduz muito os riscos de uma vitória Democrata na Casa Branca.

Ivo Chermont

Sócio e Economista-chefe da Quantitas Asset