Mundo digital: Quando o caçador vira caça

Como a Amazon se tornou mais valiosa do que o Walmart?
Por  Livia Mansur
info_outline

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Em 1999, o modelo de negócios do Walmart voava e suas megalojas levavam a falência pequenos varejistas pelo país inteiro. Sua receita anual era de US$ 138 bilhões. Nesta época, o Amazon começava a aparecer com uma receita anual mais tímida de US$ 1.6 bilhão. Só que em 2014, a receita do Amazon já havia multiplicado por mais de 50 vezes, batendo US$ 89 bilhões anuais, enquanto o Walmart viu sua receita apenas triplicar para US$ 486 bilhões. E apesar de todos os esforços e investimentos no mundo digital, apenas 2,5% desta receita do Walmart era oriunda do e-commerce.

O Walmart construiu um império baseado em 1 pilar: preços baixos. Já o Amazon construiu seu negócio nos 3 pilares do mundo digital moderno: Custos, Experiencia e Plataforma. Esse modelo permite feedbacks interativos entre clientes, auxiliando o desenvolvimento de produtos e a retenção que se torna cada vez mais valiosa a medida que o número de clientes cresce.

O Amazon investiu fortemente em eficiência de custo e hoje sua receita por funcionário é de US$623,000, quase 3 vezes a do Walmart. E, segundo um teste recente de James B. Stewart para o New York Times, Amazon ainda é mais barato que o Walmart em todos os itens e sua entrega mais rápida.

Na guerra entre Walmart e Amazon os clientes já escolheram, mas o mercado também. Pela primeira vez na historia, o Amazon ultrapassou o Walmart em market cap com suas ações subindo 115% só esse ano, enquanto o Walmart viu suas ações depreciarem 33%.

Mas muitas vezes o caçador acaba virando caça. Ainda mais em um mundo digital aonde as lacunas são rapidamente preenchidas. A plataforma digital Jet.com, por exemplo, promete aos clientes o menor preço da internet (em geral de 10%-15% do mercado). O objetivo da empresa é criar uma melhor experiencia pros clientes, eliminando ineficiências e aumentando as opções.
 
A Jet utiliza algoritmos para criar vantagens de informação, agrupando produtos para criar eficiências no transporte, o que pode traduzir-se em custos mais baixos, e com mais escolha e flexibilidade no atendimento a demanda do cliente. Jet paga o preço cheio aos varejistas online e usa seus algoritmos para traduzir em tamanhos maiores cesta, permitindo aos clientes obter mais economia quando eles adicionam mais itens ao seu carrinho. Outro exemplo de melhora de eficiência é se o cliente não deseja retorno grátis, por exemplo, ele pode abrir mão dessa opção e economizar dinheiro.

A Boomerang Commerce, research especializado em e-commerce, estima que o Jet é mais baratos do que o Amazon em 81% dos itens, apesar da quantidade de produtos oferecidos ainda ser bem menor.
 

Em suma, o investidor que escolhe comprar acoes do Amazon porque é um cliente satisfeito (o que é muito provável já que o Amazon tem os clientes mais satisfeitos do mundo), deve entender que o mercado também gosta, e muito, da empresa. Por isso o preço do papel subiu tanto. O desafio agora é encontrar o próximo “Amazon”.

Informe seu nome e e-mail abaixo que enviaremos nossas novidades para você.

[hubspot formid=””]

Livia Mansur Livia Mansur é especialista em alocação de recursos de clientes de alta renda com mais de 12 anos de experiência. Hoje mora em Miami e atua no mercado financeiro internacional.

Compartilhe
Mais sobre

Mais de Investimentos no exterior

Investimentos no exterior

Eleicoes Americanas

Apesar de Hillary Clinton ser a candidata mais provável, Donald Trump não está totalmente descartado. Muitos investidores se questionam, o que aconteceria com os mercados se ele ganhasse.
Investimentos no exterior

Existe risco de recessão nos EUA?

Desde a crise financeira de 2008, os analistas têm se debruçado em adivinhar a próxima crise. Não deixam passar o menor sinal. Estão traumatizados porque não acertaram a última grande queda. O tema principal agora é que os EUA estariam entrando em uma recessão. É verdade?
Investimentos no exterior

Investindo no setor imobiliario nos EUA

Apesar da volatilidade do mercado global, o setor de habitação nos EUA tem-se mantido forte. Temos consistentemente visto números sólidos no setor este ano, com aumento de vendas de novas moradias e pedidos de hipotecas. Entenda como investir nesse setor atraves do mercado financeiro.