Empréstimo barato no exterior

É sabido que a taxa de juros nos EUA é bem menor que no Brasil. Isso faz com que os empréstimos aqui sejam mais baratos. Descubra como tirar proveito disso!
Por  Livia Mansur
info_outline

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

É sabido que a taxa de juros nos EUA é bem menor que no Brasil. Isso faz com que os empréstimos aqui sejam mais baratos. Um investidor, que tenha recursos no exterior e deseje tirar proveito disso, pode dar seus investimentos como garantia para conseguir um empréstimo barato que pode ter algumas utilidades como:

 

Aumentar retorno da carteira

A grande maioria das instituições financeiras no exterior concedem empréstimos aos seus clientes tomando como garantia seus investimentos financeiros. A instituição financeira avalia a qualidade dos investimentos na carteira do cliente (se são ativos mais seguros, ou mais especulativos) e concede um empréstimo sobre um percentual da carteira. Isso pode variar de uma instituição para outra. O investidor pode tomar proveito disso para alavancar sua carteira e aumentar seu potencial de retorno.Vamos colocar em números pra facilitar. Digamos que o investidor tenha US$ 1 milhão investidos em ativos financeiros que geram retornos em dólar de 6% ao ano. A instituição financeira avalia a carteira e concede uma alavancagem sobre 70% da carteira, isto é, US$ 700 mil, a uma taxa de juros de 3% ao ano. O investidor pega esse empréstimo e reinveste na mesma carteira que gera 6% ao ano. Sendo assim, seu ganho anual deixa de ser de US$ 60 mil (6% de 1 milhão) e passa a ser de US$ 102 mil (6% de 1,7 milhão) menos US$ 21 mil do empréstimo (3% de 700 mil). Sendo assim, a carteira passa a render 8,1% ao ano em vez de 6% sobre os recursos investidos.

 

Comprar imoveis no exterior

O cidadão americano que decide comprar um imóvel e não tem o dinheiro (ou não quer imobilizar seu patrimônio), em geral, opta por um financiamento imobiliário fornecido por uma instituição financeira que usa o próprio imóvel como garantia. Exatamente como funciona no Brasil. Só que a taxa de financiamento depende do histórico de crédito desse individuo, e não da taxa media de inadimplência de toda a população, como no Brasil. Sendo assim, o Brasileiro que decide comprar um imóvel no exterior, por não ter um histórico de crédito, não terá uma boa taxa de financiamento, e um maior número de garantias serão exigidas.A alternativa menos onerosa para o individuo que tem investimentos financeiros no exterior é utilizar os recursos investidos no banco como garantia do empréstimo e não o imóvel em si. E se os recursos estiverem aplicados a uma taxa superior a taxa de empréstimo, como no exemplo acima, o investidor mantem seus investimos, compra o imóvel e ainda ganha com a diferença entre a remuneração dos seus investimentos e a taxa de juros do empréstimo.Essa modalidade foi muito utilizada por clientes de alta renda que adquiriram imoveis depois da crise de 2008. Os investidores ganharam com os investimentos financeiros mas também com a forte valorização dos imoveis.

 

Investir no Brasil

Hoje, a modalidade que tenho mais visto são de clientes que tomam empréstimos sobre seus investimentos no exterior para enviar para o Brasil. Além do ganho no investimento, o cliente, dependendo do caso e da estrutura, evita o pagamento de IR sobre o ganho financeiro no exterior, já que o dólar se valorizou muito nos últimos meses. 

 

Vale lembrar que as taxas de empréstimos e o percentual autorizado para alavancagem varia de uma instituição pra outra. Mas não deixa de ser uma oportunidade pra quem tem recursos investidos no exterior.

 

Informe seu nome e e-mail abaixo que enviaremos nossas novidades para você.

[hubspot formid=””]

Livia Mansur Livia Mansur é especialista em alocação de recursos de clientes de alta renda com mais de 12 anos de experiência. Hoje mora em Miami e atua no mercado financeiro internacional.

Compartilhe

Mais de Investimentos no exterior

Investimentos no exterior

Eleicoes Americanas

Apesar de Hillary Clinton ser a candidata mais provável, Donald Trump não está totalmente descartado. Muitos investidores se questionam, o que aconteceria com os mercados se ele ganhasse.
Investimentos no exterior

Existe risco de recessão nos EUA?

Desde a crise financeira de 2008, os analistas têm se debruçado em adivinhar a próxima crise. Não deixam passar o menor sinal. Estão traumatizados porque não acertaram a última grande queda. O tema principal agora é que os EUA estariam entrando em uma recessão. É verdade?
Investimentos no exterior

Investindo no setor imobiliario nos EUA

Apesar da volatilidade do mercado global, o setor de habitação nos EUA tem-se mantido forte. Temos consistentemente visto números sólidos no setor este ano, com aumento de vendas de novas moradias e pedidos de hipotecas. Entenda como investir nesse setor atraves do mercado financeiro.