Sou uma criança não entendo nada

Lá pelo final dos anos 80, Erasmo Carlos compôs a letra da canção que leva esse título sem imaginar que pouca coisa, quando se trata de costumes financeiros, mudaria de lá para cá.
Por  Silvia Alambert Hala
info_outline

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Como seres de hábitos e modelos que somos, vamos repetindo o que aprendemos e passando o conhecimento de geração a geração, sem nos questionarmos se o que estamos ensinando ainda serve como referência para nós ou se serve aos nossos filhos.

Isso não quer dizer, de forma alguma, que tudo o que transmitimos não sirva às nossas crianças, porém há de se considerar que já que nossas crianças nasceram em uma outra época é importante atualizarmos alguns aplicativos, especialmente aqueles que se referem ao nosso próprio conhecimento financeiro.

Eu sei que o dinheiro parece ser uma coisa simples e que parece que não se tomará muito tempo para ensinar sobre isso. Afinal de contas, você já sabe sobre isso há algum tempo e já aprendeu a ganhá-lo, no mínimo, há alguns anos.

O que mais você teria para aprender sobre isso, de fato? E o que mais você realmente precisa saber para ensinar aos seus filhos e que ainda não conheça?

Bem, se estatísticas forem um indicador, ainda tem muito.

Os jovens brasileiros de 16 a 24 anos são os que têm menos controle da vida financeira, segundo uma pesquisa publicada pelo Serasa Consumidor e pelo Ibope Inteligência. A pesquisa mostrou que 40% dos jovens admitem não manter controle financeiro algum.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por outro lado, outra pesquisa realizada pela Fecomércio RJ/Ipsos mostrou como o brasileiro é conservador com relação aos seus investimentos: ainda que tenha o menor retorno, que será ainda mais baixo com a nova Selic a 11,25%, nove em cada dez brasileiros (85,8%) afirmaram utilizar a caderneta de poupança como principal investimento em 2014.

Esses números apenas demonstram e reforçam que há um longo caminho a ser percorrido, até que a educação financeira de crianças e jovens se consolide como cultura em nosso país.

Enquanto essa realidade não muda, continuemos cantando Erasmo Carlos:

Antigamente quando eu me excedia

Ou fazia alguma coisa errada
Naturalmente minha mãe dizia: “Ele é uma criança, não entende nada”…

Por dentro eu ria
Satisfeito e mudo: Eu era um homem e entendia tudo…

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Hoje, só, com meus problemas
Rezo muito, mas eu não me iludo
Sempre me dizem quando fico sério:
“Ele é um homem e entende tudo”…

Por dentro com
A alma atarantada
Sou uma criança
Não entendo nada.

Silvia Alambert Hala Sócia, co-fundadora da Creative Wealth™ Intl (USA), empresa americana fundada em 2002 e proprietária dos programas de educação financeira para crianças e jovens The Money Camp™, Camp Millionaire™, Moving Out! ™ e The Money Game™ que se dedica à formação de educadores financeiros escolares e mentores e tutores de crianças e jovens ao redor do mundo. Silvia atua há 15 anos como educadora financeira de crianças e jovens em escolas e nas famílias, coach especializada em finanças comportamentais, palestrante, formadora de educadores financeiros escolares no Brasil, co-autora do livro “Pai, ensinas-me a poupar!” (Ed. Rei dos Livros) publicado em Portugal, representante da APOEF™ (Associação de Profissionais Orientadores e Educadores em Finanças) nos Estados Unidos da América e coordenadora do projeto de educação financeira para jovens atletas de alto desempenho da empresa Sports To Go™. Instagram: @silviaalambert_edufin www.silviaalambert.com www.creativewealthintl.com

Compartilhe

Mais de Além do dinheiro