Em cetip

Com Bolsa em baixa e novo cenário para renda fixa, Cetip lança plataforma

Em evento, Cetip, ABBC e Ancord lançaram plataforma que deve ampliar leque de produtos para corretoras e para seus clientes, facilitando acesso ao pequeno investidor

Carlos Ratto, diretor-executivo comercial da Cetip
(Divulgação)

SÃO PAULO - A plataforma de negociação eletrônica de títulos de renda fixa para bancos médios e pequenos, lançada nesta quarta-feira (12) deverá resultar em uma alternativa segura a um público mais amplo de investimentos, de acordo com representantes da Cetip (CTIP3), Ancord (Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos, Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias) e da ABBC (Associação Brasileira dos Bancos) reunidos em evento de lançamento em São Paulo. 

De início, a plataforma tem como proposta ampliar o acesso a pequenos investidores a CDBs (Certificado de Depósitos Bancários) mas a intenção é de que, ao longo do tempo, sejam ofertadas também as LCA (Letras de Crédito Agrícola) e LCI (Letras de Crédito Imobiliário). Na plataforma, as corretoras poderão comparar as taxas e os prazos dos papéis de renda fixa apresentadas pelas instituições financeiras. 

Além das LCA e LCI, a plataforma eletrônica também pode passar a operar os COE (Certificado de Operações Estruturadas), ressaltou Carlos Ratto, diretor-executivo Comercial, de Produtos, Marketing e Comunicação da Cetip. Já Ricardo Gelbaum, diretor de Relações com Investidores do Banco Daycoval (DAYC4), destacou que as emissões de títulos a serem oferecidos na plataforma podem ser superiores ao limite de cobertura de garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito), de R$ 250 mil.

Conforme avaliou Manoel Felix Cintra Neto, presidente da ABBC, esta plataforma deve oferecer uma remuneração mais atrativa do que a obtida em grandes instituições financeiras.  A plataforma será disponibilizada através do Cetip Trader e tem como objetivo facilitar o funding de bancos e levar a maior transparência do mercado de títulos emitidos pelos bancos. 

Neto ressaltou que, para as corretoras, a plataforma deve ampliar o leque dos produtos, diversificando assim as fontes de receita e as escalas de atividades enquanto, para os bancos, a plataforma deve contribuir para a formação de um ambiente mais estável ao sistema financeiro.

Já Geraldo Magela, secretário executivo do Banco Central, destacou que a Cetip Trader é vista com bons olhos pela autoridade monetária."Entendemos que a medida está condizente com o pensamento do BC da busca por ganhos de sinergias e de eficiência econômica, que é bom não só para o BC, mas para a sociedade brasileira", ressalta.

Alternativas de captação
Boa parte dos representantes da Cetip, ABBC e da Ancord destacaram o novo cenário para o investimento brasileiro que, mesmo com o aperto e a elevação da Selic no último ano, é de taxas de juros reais bem mais baixas no longo prazo, o que leva os investidores a terem que ampliar o seu cenário de investimentos.

Além disso, com a bolsa andando de lado nos últimos quatro anos, o investimento em produtos mais sofisticados de renda fixa passa a ser visto com melhores olhos pelos investidores e, assim, pode expandir o leque para as corretoras. 

Conforme ressaltou o sócio-fundador da XP Investimentos, Marcelo Maisonnave, com o novo cenário de investimentos, a renda fixa possui um importante papel na diversificação do portfólio de corretoras e distribuidoras, que precisam se modernizar para atender as novas demandas dos investidores, que vêm buscando se informar mais e adotar novas estratégias de investimentos.

Carlos Souza Barros, diretor-Presidente da Souza Barros Corretora, também destacou o novo ambiente de investimentos e avaliou que, para os corretores, a nova plataforma oferecerá maior agilidade, favorecendo a procura por negócios e favorecendo a capitalização dos bancos. 


 

Contato