Em cesp

Governo paulista vende controle da Cesp por R$ 1,7 bilhão; ações disparam 16%

O consórcio formado pelo fundo de pensão canadense CPPIB em parceria com a Votorantim Energia foi o único interessado em comprar o controle da elétrica

Energia
(shutterstock)

SÃO PAULO - O consórcio São Paulo Energia, formado pelo fundo de pensão canadense CPPIB em parceria com a Votorantim Energia, arrematou nesta sexta-feira o controle acionário do governo paulista na Cesp (CESP6) nesta sexta-feira (19).

Após a venda, os papéis da companhia passaram a disparar, chegando a saltar 17,11% na máxima do dia, e fechando próximo deste patamar, com ganhos de 16,12%. O volume financeiro ficou em R$ 430,6 milhões, mais de doze vezes a média de 21 dias, de R$ 33,7 milhões.

O consórcio foi o único interessado em comprar o controle da elétrica. As empresas aceitaram pagar R$ 1,7 bilhão por um lote de 116.450.297 ações oferecidas pelo governo do Estado de São Paulo, o que corresponde 40,56% do capital social da concessionária de geração de energia paulista.

O preço final por ação foi de R$ 14,60, ágio de 2,09% sobre o valor mínimo de R$ 14,30 estipulado pelo governo.

Agora, o comprador terá de lançar uma oferta pública de aquisição de ações (OPA), podendo fazer com que o desembolso chegue a R$ 4,8 bilhões em caso de ser adquirida a totalidade das ações.

Invista em ações sem pagar taxa de corretagem: abra uma conta na Clear

Vale ressaltar que, hoje, o governo estadual conseguiu, junto ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF), uma decisão para suspender os efeitos de uma sentença proferida na quinta pela Justiça Federal de Presidente Prudente (SP), que suspendia o processo de renovação de contrato de concessão da hidrelétrica de Porto Primavera, principal ativo da Cesp. 

Tal liminar dificultava a realização do leilão de privatização da geradora estatal desta sexta. A entrega das propostas pela Cesp, inicialmente marcada para entre as 9 horas e as 10 horas foi adiada para entre as 12 horas e 13 horas.

A privatização permite a renovação da concessão, por 30 anos, de Porto Primavera, localizada no Rio Paraná, próximo à cidade de Rosana (SP), no Pontal do Paranapanema. A usina tem a barragem mais extensa do Brasil, com 1.540 megawatts (MW) de potência instalada.

A Cesp é sociedade de capital aberto, concessionária de serviço público de geração de energia elétrica no estado. A companhia foi constituída em 5 de dezembro de 1966, como Centrais Elétricas de São Paulo, a partir da fusão de 11 empresas de energia elétrica.

A companhia opera, no total, com três usinas hidrelétricas: Jaguari, Paraibuna e Porto Primavera. Juntas, somam 1.654,6 MW de capacidade instalada e 1.056,6 MW de garantia física de energia. Ao todo, são 18 unidades geradoras envolvidas na operação.

(Com Agência Estado e Agência Brasil)

 

Contato