Em cesp

Cesp e Celesc surpreendem com dividendos maiores

Ao contrário do que foi feito pelas demais empresas do setor, a Cesp surpreendeu ao anunciar uma distribuição complementar de R$ 1,58 bilhão referente ao exercício de 2014

linhas de transmissão de energia elétrica 3
(Marcello Casal Jr/ABr)

As ações da Cesp (CESP6) e da Celesc (CLSC4), estatais controladas pelos governos de São Paulo e Santa Catarina, respectivamente, apresentaram forte valorização no início da semana, após as companhias divulgarem a intenção de aumentar a distribuição de dividendos em 2015. Ao contrário do que foi feito pelas demais empresas do setor, a Cesp surpreendeu ao anunciar uma distribuição complementar de R$ 1,58 bilhão referente ao exercício de 2014. Já a Celesc pretende distribuir R$ 146,2 milhões, montante 158% superior ao repassado aos acionistas no ano passado.

As ações preferenciais da estatal catarinense apresentaram valorização de 36,24% e fecharam o dia cotadas a R$ 18,31. Já os papéis preferenciais da Cesp subiram 6,48% e fecharam o dia em R$ 24,00.

Em uma iniciativa inesperada, a estatal paulista apresentou a proposta de distribuição de dividendos no valor de R$ 1,773 bilhão - dos quais R$ 193 milhões pagos anteriormente. O montante supera o R$ 1 bilhão proposto no ano anterior e também ficou acima da expectativa do mercado, segundo Sonia Villalobos, da gestora de ativos Azimut.

Esperava-se que a distribuição adicional de dividendos tivesse um valor mínimo de até R$ 600 milhões. O governo de São Paulo, maior acionista da empresa com participação de 36% no capital da companhia, é o principal beneficiado com a medida.

No caso da Celesc, o montante proposto representa um dividend yield de 26,4%, o maior da história da companhia. No ano passado, o retorno com dividendos dos acionistas da estatal catarinense foi de 8,93%, segundo a companhia. O governo estadual detém 20,2% do capital da empresa.

 

Contato