XP Inc. se compromete a ter 50% de mulheres em todos os níveis hierárquicos até 2025

Hoje, 22% do quadro é composto por mulheres e a companhia está implementado medidas práticas como a extensão das licenças maternidade e paternidade

Giovanna Sutto

Publicidade

SÃO PAULO – A XP Inc. anunciou que terá pelo menos 50% de mulheres em seu quadro de funcionários, em todos os níveis hierárquicos, até 2025. O compromisso público de equidade de gênero foi anunciado nesta sexta-feira (17).

O grupo, que conta com 2.600 colaboradores e deve encerrar o ano com 3.100 funcionários, tem hoje cerca de 22% de mulheres entre seus colaboradores.

O principal objetivo da meta é acelerar o processo de inclusão de mulheres no mercado financeiro e em cargos de liderança, segundo Marta Pinheiro, sócia e diretora de ESG (Meio Ambiente, Social e Governança) da XP Inc.

Download Gratuito

Guia Onde Investir 2024

Descubra as melhores oportunidades para lucrar e se proteger em 2024

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

“Entendemos o contexto histórico da nossa sociedade e desse mercado, que hoje não atrai ou favorece a presença feminina, e o nosso intuito é derrubar essas barreiras. Mais mulheres no mercado financeiro também significa mais empoderamento de suas finanças, que é uma ferramenta de liberdade. Destaco ainda o home office como uma excelente política de flexibilidade, que irá contribuir para a questão de carreira e maternidade, um dos pontos cruciais para profissionais mulheres”, afirmou.

A companhia informou em abril que seus colaboradores iriam trabalhar em regime home office até dezembro dado o avanço da pandemia – com a intenção de adotar o modelo permanentemente.

Mais tarde, anunciou a construção de uma nova sede, a Villa XP, em São Roque, projetada seguindo padrões ecoeficientes, utilizando 100% de energia renovável e tecnologias de reaproveitamento de água e uso de materiais sustentáveis.

Continua depois da publicidade

Marta é líder do coletivo de mulheres da companhia, chamado MLHR3, em alusão às siglas utilizadas por empresas listadas em Bolsa, e que foi criado recentemente com a participação de 135 mulheres.

O MLHR3 tem como objetivo discutir os principais assuntos relacionados à equidade de gênero. Uma das primeiras iniciativas já tomadas pelo grupo é a parceria com o Reprograma, que auxilia na formação de mulheres na área de programação.

“Fico muito orgulhosa em ver uma empresa do porte da XP assumir um compromisso público nesse sentido, pois tenho certeza que seremos seguidas por outras empresas, criando assim um ciclo virtuoso para a equidade de gênero no país”, disse a executiva.

Nesse sentido, a empresa está implementando medidas práticas como: mentoria de carreira para mulheres; revisão de políticas internas com ajuste da nomenclatura das vagas; parcerias para desenvolvimento de mulheres e suporte à inclusão; aumento da licença-maternidade (de quatro para seis meses) e paternidade (de cinco para 20 dias); treinamento para realização de processos seletivos com mulheres, entre outras.

“Queremos criar as melhores condições para que essas profissionais consigam desempenhar todo o seu potencial, auxiliando nas questões do dia a dia do trabalho e, também, na qualidade de vida das nossas colaboradoras. Queremos ser exemplo de empresa que gera um impacto positivo para a sociedade, da qual os nossos colaboradores, clientes e investidores tenham muito orgulho”, afirma Guilherme Sant’Anna, sócio e diretor de Gente & Gestão da XP Inc.

Giovanna Sutto

Repórter de Finanças do InfoMoney. Escreve matérias finanças pessoais, meios de pagamentos, carreira e economia. Formada pela Cásper Líbero com pós-graduação pelo Ibmec.