Passo a Passo

Veja 5 considerações antes de deixar seu emprego para abrir um negócio

Deixar um emprego para abrir sua empresa pode ser um movimento arriscado. Veja 5 dicas para fazer a escolha certa

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Deixar o emprego para abrir uma empresa é o sonho de muitas pessoas. Se este é seu caso, será que você está preparado para esse movimento? Não basta apenas querer horários flexíveis, não receber ordem ou objetivar ganhar muito mais que seu salário – abrir uma empresa requer alguns cuidados e decisões nem sempre fáceis.

Para você que está com essa encruzilhada, o site de empregos CareerCast.com fez listou 5 dicas que poderão lhe ajudar a fazer a escolha certa. Confira:

1. Avalie suas motivações
O primeiro passo é saber os motivos pelos quais você abrirá um negócio. Será que você está apenas tentando fugir de algum problema de seu emprego atual, como seu chefe ou seus colegas de trabalho?

PUBLICIDADE

Se sim, é preciso tomar cuidado. Começar um negócio te afastará destes problemas, mas eles podem voltar de outra forma, como em reclamações de clientes ou até funcionários difíceis de conviver, mas que realizam um bom trabalho. 

2. Seu negócio te realiza?
Você pretende abrir um negócio em um segmento que você ama ou apenas quer ganhar mais dinheiro? Uma empresa exigirá muito de você e nem sempre te recompensará financeiramente. Ainda mais, você passará mais tempo na empresa que no seu emprego atual, ou até mesmo com sua família.

3. Sacrifício faz parte
Como foi dito no item anterior, é preciso amar seu negócio, pois ele exigirá muito mais de você. Para tomar esta decisão, é preciso ter em mente que a maioria dos empresários não tira férias todos os anos, tão pouco trabalha apenas oito horas por dia, mas é recompensado pelo amor à empresa. 

Se você não ama o que faz, certamente seus concorrentes amam e tudo o que eles fizerem por esse “amor” ficarão à sua frente.

4. Você deve parar seu trabalho?
Em geral, você precisa fazer duas escolhas: pedir demissão (e trabalhar em seu novo negócio em tempo integral) ou continuar em seu emprego e trabalhar em sua empresa no tempo livre. O primeiro implica assumir mais riscos, o segundo nem tanto.

Arriscar é essencial para um início bem-sucedido e a parte mais difícil é saber o quanto irá se arriscar para esse movimento. Segundo o CareerCast, você precisa considerar a primeira opção somente quando sua ideia de negócio já foi testada ou amplamente estudada e comprovada que há demanda no mercado para o que você está criando, assim como seu plano de negócio.

PUBLICIDADE

Se você está pensando em transformar seu hobby (seja fotografia, fitness ou cozinhar) em um negócio, então, a segunda opção é melhor para você. 

5. Cuidado com a idealização
Quando você é funcionário, pessoas que trabalham por conta própria são muito idealizadas. Tudo parece fácil e eles sempre estão felizes, pois podem escolher seus horários e sempre aparecem em um carro invejável. A todo o momento, você se depara com histórias de sucesso de grandes empresários.

A realidade é que o seu pequeno negócio cresce proporcionalmente com sua capacidade de criar valor no mercado em que atua. É preciso tempo e dedicação para essa expansão, o que pode significar trabalhar por muito tempo e não ganhar tanto quanto imaginava para esse começo, além de sacrificar festas, viagens ou tempo com amigos ou família.