Pandemia

Variante delta da Covid-19 adia o retorno aos escritórios em Nova York

Gigantes como BlackRock, PwC e Facebook adiaram planos de retorno aos escritórios por causa do avanço da delta, que se espalha mesmo entre os vacinados

(Sean Pollock/Unsplash)

(Bloomberg) – Os empregadores de Manhattan (Nova York, EUA) estão menos confiantes no retorno dos colaboradores aos escritórios no mês que vem, diante da alta de casos da variante delta da Covid-19.

Os empregadores agora esperam retorno de 41% dos funcionários às atividades presenciais até 30 de setembro, comparado à estimativa de 62% apurada em maio nas sondagens da Partnership for New York City. O último levantamento foi conduzido entre 9 e 20 de agosto.

Até o momento, cerca de 23% dos trabalhadores voltaram ao local de trabalho, contra 12% em maio.

Gigantes como BlackRock, PwC e Facebook adiaram planos de retorno aos escritórios por causa do avanço da delta, que se espalha mesmo entre os vacinados. Muitas firmas de Wall Street estão reformulando políticas internas, adiando a data esperada de retorno dos colaboradores e exigindo que eles se vacinem ou usem máscaras.

Cerca de 44% dos empregadores prorrogaram os planos de retorno por causa do aumento de casos da Covid-19, embora 54% não tenham feito alterações, segundo a Partnership, organização sem fins lucrativos que representa a comunidade empresarial da cidade. A maioria dos entrevistados atua no setor de serviços financeiros.

De modo geral, os empregadores implementaram a rotatividade de funcionários, que podem trabalhar remotamente durante parte da semana, segundo a pesquisa. Apenas 26% das empresas exigem que os colaboradores estejam no escritório em tempo integral.

Entre as companhias que divulgaram suas políticas de vacinação, cerca de 58% exigem que todos os funcionários recebam a proteção. Apenas 37% relataram não ter uma política de vacinação.

As melhores recomendações de investimentos por 30 dias grátis: conheça o Expert Pass