Trabalho no exterior: Brasil assina acordo que protege 4 milhões de profissionais

Na norma, está assegurado que migrações ocorram de forma segura e que nenhum migrante seja exposto à exploração

SÃO PAULO – A decisão de trabalhar no exterior é difícil. Existe toda aquela insegurança sobre o que pode acontecer. Para dar mais segurança às pessoas que tomam essa atitude, o Brasil aderiu à “Convenção Internacional para a Proteção aos Direitos dos Trabalhadores Migrantes e seus familiares”.

A decisão por participar da convenção foi tomada por unanimidade pelo Conselho Nacional de Imigração (Cnig), presidido pelo MTE (Ministério do Trabalho e do Emprego). A norma internacional foi aprovada em 1990 pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Direitos fundamentais

A convenção garante os direitos fundamentais dos trabalhadores migrantes e também de seus familiares. Até mesmo porque uma das inseguranças de quem vai trabalhar em outro país é a de dar uma vida digna ao companheiro (a) e filhos. Na norma, está assegurado que as migrações ocorram de forma segura e que nenhum migrante seja exposto a situações de exploração e violência.

PUBLICIDADE

A medida tomada pelo Cnig poderá, de acordo com o presidente do conselho, Paulo Sérgio de Almeida, ajudar os cerca de 4 milhões de brasileiros que vivem fora do País. “Passamos alguns meses debatendo a importância de o Brasil assinar essa convenção. Foi uma decisão unânime. Com isso, assumimos o compromisso de aplicá-la no nosso território”, afirmou Almeida, de acordo com a Agência Brasil.

Trabalho no exterior

Trabalhar em outro país exige planejamento, principalmente num momento de crise como a que vivemos. Muitos brasileiros têm voltado para o País. A primeira pergunta a ser feita é qual a sua necessidade. Aprender um idioma, arrumar um emprego, conquistar independência, adquirir experiência…

Você precisará de um apoio profissional para estruturar sua viagem. Muito cuidado com as empresas que oferecem emprego fácil no exterior. Procure consultar outras pessoas que já passaram pela experiência, e opte por indicação. A chance de você se enganar reduz bastante se você agir assim.