Trabalho e saúde: quanto mais alto o cargo, maior o número de fumantes

Segundo pesquisa, enquanto 20,54% dos presidentes e gerentes gerais fumam, no nível administrativo, são apenas 9,10%

SÃO PAULO – Quanto mais alto o cargo na empresa, maior a possibilidade de ser fumante. A constatação é da pesquisa “A contratação, a demissão e a carreira dos executivos brasileiros”, realizada em 2007 pela Catho com 12.122 profissionais. De acordo com os dados, enquanto 20,54% dos presidentes e gerentes gerais disseram possuir o hábito, no nível administrativo, foram somente 9,10%.

Nos altos níveis hierárquicos, além da incidência de profissionais fumantes ser maior, eles ganham também em quantidade de cigarros consumidos. Os presidentes e gerentes gerais fumam cerca de 13 cigarros por dia, ante 6, entre as pessoas do nível administrativo. O tempo médio em que adquiriram o hábito também é maior, de cerca de 18 anos, entre presidentes e gerentes gerais, e de aproximados 11 anos, entre os administradores. Os que já largaram o vício correspondem a 41,32% dos presidentes e gerentes gerais e 15,50% dos administradores.

A pesquisa revela uma contradição. Enquanto a maioria dos fumantes se encontra entre os presidentes, esses profissionais têm alta objeção quanto à contratação de pessoas que possuem o hábito: 48,35% têm muita objeção aos que fumam, enquanto entre gerentes e supervisores esse percentual é de 46,75%.

Incidência menor

PUBLICIDADE

No geral, são 13,35% dos profissionais de todos os níveis hierárquicos que disseram ser fumantes. Na comparação com os anos anteriores, é possível analisar que a incidência está diminuindo. Isso porque, em 2007, 19,59% dos profissionais entrevistados possuíam o hábito.

Entre as mulheres, a situação não é a mesma. Levantamento realizado em agosto pelo Centro de Check-Up da rede de exames complementares Centro de Medicina Nuclear da Guanabara mostrou crescimento no número de mulheres fumantes entre pessoas que ocupam altos cargos: de 45% em 2006 para 48% em 2007.

Segundo a Catho, aqueles que responderam nunca ter fumado foram 74,37% dos entrevistados. Os ex-fumantes somaram 25,63%, mas o tempo médio em que preservaram o vício foi maior do que o tempo em que o largaram. Os dados mostram que, no geral, eles estão há cerca de sete anos sem fumar e mantiveram o hábito por nove anos.

Cuidado com atitudes

A pesquisa mostrou que 27,18% dos profissionais consultados têm permissão para fumar no ambiente de trabalho. Dentre essas pessoas, 67,56% disseram que há uma área específica na empresa.

Acostumados à fumaça e ao cheiro, os fumantes acendem um cigarro sem perceber que estão incomodando; por isso, é recomendável ter atenção redobrada!

Nada de fumar durante refeições ou durante a carona de volta para a casa. Existem alguns locais destinados aos fumantes e outros em que é permitido fumar. Mesmo neles, é delicado e educado perguntar se o cigarro irá incomodar os presentes. Caso haja crianças por perto, esqueça o hábito: adultos devem dar exemplo.