Temporários: 11,5% das empresas brasileiras acreditam em efetivação

Pesquisa mostra que, em todo o mundo, 9% das empresas acreditam que parte dos temporários possa ser efetivada

SÃO PAULO – No Brasil, 11,5% das empresas acreditam que parte dos trabalhadores temporários pode ser efetivada após o término do contrato, revela pesquisa realizada pela Manpower.

O estudo revelou também que 50% das empresas brasileiras contratam profissionais terceirizados para aumentar a equipe durante época de maior sazonalidade, como Natal e Dia das Mães, e 14,5%, para substituir funcionários que estão de licença. Além disso, 87% dos empregadores declararam que treinam igualmente funcionários terceirizados e efetivos.

No País, 55% das empresas dos setores da Educação e Administração Pública acreditam que os funcionários temporários são fundamentais no ambiente de trabalho e valorizam a presença desses em suas organizações e 39% das empresas da Indústria de Manufaturas e 36% das companhias da Construção Civil consideram o terceirizado importante para a realização de suas atividades.

Potencial de contratação

PUBLICIDADE

O mercado de trabalho temporário tem grande potencial de crescimento, pois, de acordo com a pesquisa, 67% dos empregadores brasileiros não conhecem as principais vantagens da contratação de terceirizados.

“Com o reaquecimento da economia no Brasil e a cautela em realizar contratações, o que é correto, os vencedores serão aqueles que usaram os temporários como catalizadores da força de trabalho, aumentando a execução das tarefas, acrescentando talentos à equipe e não aumentando custos. Em outras palavras, fazendo mais com menos”, explica o diretor-geral da Manpower no Brasil, Augusto Costa.

Pelo mundo

Fora do Brasil, 41% das empresas também acreditam que o principal motivo para a contratação de funcionários temporários é aumentar a capacidade de produção da equipe durante períodos sazonais e 15%, que é a substituição de funcionários que estão de licença.

Sobre treinamento, 69% das empresas oferecem o mesmo para terceirizados e contratados, contra 26% que disponibilizam aperfeiçoamento diferenciado entre esses profissionais.

A pesquisa identificou que, em todo o mundo, 9% das empresas acreditam que parte dos temporários possui chance de efetivação.

Sobre a pesquisa

A pesquisa “O Papel dos Temporários na Estratégia da Força de Trabalho” foi aplicada em 35 países e entrevistou 41 mil empregadores, sendo que no Brasil foram quase mil. O estudo definiu como trabalhador temporário membros não permanentes de uma equipe de uma organização, como consultores, funcionários terceirizados e empregados provisórios.