Seu problema nem sempre é o trabalho! Identifique fonte de insatisfação

Profissional deve refletir sobre sua vida, mesmo que tenha pouco tempo disponível para fazer isso

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Na opinião do coach Renato Ricci, o profissional que está muito envolvido em suas atividades diárias pode não perceber que está com problemas pessoais. Conseqüência: a pessoa se sente insatisfeita com a vida e transpõe a infelicidade para o emprego.

“Ela começa a achar que não escolheu a profissão certa ou que o ambiente de trabalho não é o mais adequado às suas necessidades. Como está muito envolvida com o trabalho, perde a capacidade de discernimento”, conta.

Na opinião do sócio da Steer Recursos Humanos, Ivan Witt, todo mundo está cansado de ouvir que não pode levar problemas pessoais para o trabalho, ou questões profissionais para dentro de casa. Mas ninguém sabe como!

Dicas

Aprenda a investir na bolsa

Para Witt, o primeiro passo para separar o pessoal do profissional é cuidando da saúde, o que inclui a prática de exercícios físicos, a realização periódica de exames de prevenção, alimentação adequada e uma postura otimista diante da vida.

Ele lembra que um indivíduo saudável tem mais habilidade para lidar com os problemas do dia-a-dia, sejam profissionais, sejam pessoais. Com a saúde sob controle, é preciso se concentrar em um plano de vida, equilibrando os aspectos pessoas e profissionais, para que nenhum deles seja fonte de frustração futuramente.

A dica do coach Renato Ricci é para que o profissional reflita sobre sua vida – ainda que tenha pouco tempo para tal. “É importante analisar seu momento atual de vida, questionar se tem lazer, amigos, tempo para ficar com a família, e ser sincero quanto às áreas da vida que de fato domina. E uma maneira de identificar o problema é avaliando o quanto ele atrapalha o dia-a-dia no trabalho.”

Pessoal versus profissional

Talvez esse lance de não levar problemas do trabalho para casa não deva ser levado tão a sério. “Não existe uma fórmula mágica para que a pessoa deixe os problemas do trabalho porta afora e não traga nenhum estresse para dentro de casa”, explica o sócio da Steer Recursos Humanos.

Ao invés de omitir, é fundamental que o indivíduo esclareça aos familiares que não está vivendo um bom momento no trabalho. “Ao serem sinceros com a família, muitos profissionais ‘ventilam’ suas frustrações em ambiente seguro, desabafam e recarregam suas baterias para enfrentar os problemas. Melhor que tudo, podem ser autênticos quanto aos seus sentimentos, não dando lugar a interpretações errôneas, que poderiam afetar sua vida pessoal”, diz.

Problemas pessoais

Uma vez que o profissional tem certeza de que seu problema é pessoal, e não profissional, ele deve ser sincero com seus superiores, apesar do temor de que a organização conclua que as questões pessoais estão afetando seu rendimento. “Se o problema é sério e estiver afetando seu desempenho, é melhor esclarecer aos seus superiores os motivos, e até pedir para se afastar temporariamente para resolver a questão. Não somos máquinas!”, conclui Witt.

PUBLICIDADE