Servidores do Banco Central aprovam estado de greve geral

O Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal) informou, nesta quarta-feira (20), que a assembleia dos servidores realizada hoje aprovou o “Estado de Greve Geral” no órgão. O sindicato sinaliza que uma nova assembleia vai decidir pela entrada de fato dos profissionais no movimento grevista.“Essa decisão é uma resposta à análise do texto aprovado […]

Estadão Conteúdo

Edifício-sede do BC, em Brasília. Autonomia financeira mudaria radicalmente a estrutura da autarquia (Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Publicidade

O Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal) informou, nesta quarta-feira (20), que a assembleia dos servidores realizada hoje aprovou o “Estado de Greve Geral” no órgão. O sindicato sinaliza que uma nova assembleia vai decidir pela entrada de fato dos profissionais no movimento grevista.

“Essa decisão é uma resposta à análise do texto aprovado da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e das mudanças solicitadas para a Lei Orçamentária Anual (LOA) 2024. Os auditores fiscais da Receita Federal e a Polícia Federal obtiveram concessões no referido texto e podem receber propostas salariais do governo nos próximos dias, enquanto os funcionários do Banco Central foram excluídos dessas possibilidades”, afirmou o sindicato em nota.

No ano passado, a categoria chegou a parar por 90 dias por reajuste salarial e reestruturação da carreira, sem qualquer resultado junto ao governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Neste ano, a regulamentação da lei sobre bônus de produtividade dos auditores fiscais da Receita Federal em junho elevou a insatisfação dos funcionários do BC, que contam com apoio público não apenas de Campos Neto, como dos demais diretores da instituição.

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

Jaqueta XP NFL

Garanta em 3 passos a sua jaqueta e vista a emoção do futebol americano

Em operação-padrão desde julho, o movimento já tem afetado diversas divulgações estatísticas da autoridade monetária, e instituições financeiras já sentem a demora no andamento de processos junto ao órgão regulador.

De acordo com o Sinal, a evolução para uma greve geral pode prejudicar a manutenção do Pix, com riscos à continuidade dos serviços. A paralisação também deve impactar a conclusão de projetos em curso, como o Drex, a supervisão de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e Financiamento do Terrorismo, além da regulamentação de ativos virtuais que entrou em consulta pública na última semana.

Embora o governo Lula tenha autorizado a realização do primeiro concurso para o BC desde 2013, com 100 vagas, a categoria deseja uma reestruturação da carreira antes da realização do certame. Além do bônus produtividade, os funcionários da autoridade monetária pedem a exigência de ensino superior para o cargo de técnico na autarquia e a alteração de nomenclatura do cargo de analista para auditor.