Seleção nas empresas: quando a redação for tema livre, o que escrever?

"O mais adequado é escrever sobre atualidades", afirmou a psicóloga do Grupo Employer, Flávia Flores

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em determinados processos seletivos realizados por empresas, pede-se para o candidato escrever uma redação de tema livre. Isso mesmo: você deve escolher sobre o que escrever. Enquanto para alguns, muito criativos, a proposta é bem-vista, para outros é motivo de desespero. Afinal, o que escrever?

“O mais adequado é escrever sobre atualidades”, afirmou a psicóloga do Grupo Employer, Flávia Flores. Isso mostra que o profissional sabe sobre o que está sendo veiculado pela mídia e o que acontece em seu próprio país. Mas, para isso, é preciso ler jornal, assistir noticiários televisivos…enfim, se informar.

De bom tom, mas arriscado

O que pode dar muitos créditos ao profissional é escrever sobre a empresa contratante. “Ele pode arriscar escrever sobre a empresa, mas pode ter feito uma pesquisa ruim, escrever besteira e acabar se prejudicando”, disse Flávia. Por isso, só adote esta opção se estiver muito informado e seguro do que sabe sobre a companhia.

Aprenda a investir na bolsa

Quem escreve sobre si mesmo também pode se sair bem, dependendo de quem está selecionando. Esta é uma alternativa para mostrar algumas habilidades que não foram focadas durante a entrevista pessoal ou uma dinâmica de grupo. Porém, conforme explicou a psicóloga, a pessoa pode ser interpretada de maneira diferente daquela que queria.

A importância da redação

Quem está tranquilo para escrever a redação, pois acha que ela tem pouca importância no processo seletivo, deve ficar atento. “A avaliação é informação adicional. A entrevista pessoal é que é mesmo importante”, informou a psicóloga. O problema é que esta informação adicional pode ser o diferencial para eliminar um candidato.

O que o selecionador deseja, quando pede para que o candidato escreva uma redação, é analisar sua capacidade de argumentação. Por isso, pode colocar sua opinião. Além disso, ele analisa erros de português, concordância verbal, gramática e se o texto tem “começo, meio e fim”, nas palavras de Flávia.

Outra dica, para quem quer se dar bem na redação, é escrever o número de linhas pedido.