punição

Schincariol foi condenada a pagar R$ 700 mil aos funcionários por assédio moral

Ministério Público do Trabalho constatou que a empresa utilizava conduta ofensiva ao lidar com seus vendedores e cobrá-los o alcance de metas de vendas

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A Brasil Kirin, antiga Schincariol, foi condenada a pagar R$ 700 mil aos funcionários em indenização por assédio moral.

A empresa foi alvo de ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho de Guarulhos após inquérito civil ter comprovado assédio moral por parte dos gerentes de vendas.

Segundo o órgão, “o assédio moral se caracteriza por ataques repetidos, cujos atos interferem na saúde emocional da vítima, causando o sentimento de humilhação e desprezo”. Após investigações, o MPT constatou que a empresa utilizava essa conduta ofensiva ao lidar com seus vendedores e cobrá-los o alcance de metas de vendas.

Aprenda a investir na bolsa

Ainda de acordo com o Ministério, o tratamento acontecia não apenas em reuniões, mas também em conversas a sós. “Ameaças de mudança de região também eram usadas para tentar elevar o índice de vendas”, informou o órgão em nota.

Punição
Além do pagamento, a empresa deverá adotar medidas que investiguem e apurem eventuais reclamações e denúncias dos empregados. Outra exigência é a de que seja levada ao conhecimento de todos os empregados a existência de canais de denúncia.

Caso a empresa não cumpra qualquer das obrigações previstas na sentença, será aplicada multa diária de mil reais por trabalhador lesado. O valor da multa deverá ser revertido ao FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador).

Procurada pelo InfoMoney, a Brasil Kirin preferiu “não se manifestar sobre processos judiciais e administrativos que estejam em trâmite.”