Renda dos trabalhadores cai 0,9% em um ano, segundo pesquisa do IBGE

Queda ocorreu tanto frente a julho quanto em relação a agosto de 2003; rendimento médio passou para R$ 893,10

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em sua Pesquisa Mensal de Emprego (PME), divulgada nessa quinta-feira (23), o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatítica) revelou que o rendimento médio real para as pessoas ocupadas nas seis regiões metropolitanas analisadas recuou no mês de agosto, após ter subido em julho pelo segundo mês consecutivo. A queda aconteceu tanto frente a julho, quanto em relação a agosto de 2003.

Maior queda é verificada no Rio de Janeiro

Para se ter idéia da redução do rendimento médio, no mês de agosto o valor médio dos salários das pessoas ocupadas foi estimado em R$ 893,10, enquanto que no mesmo mês de 2003, era de R$ 901,49, o que denota uma queda de 0,9%.

Ainda frente a agosto de 2003, a maior queda no rendimento médio real foi verificada no Rio de Janeiro (-5,2%), seguida de Salvador (-3,3%), e São Paulo (-0,5%). Em sentido oposto, na mesma comparação, Belo Horizonte (6,2%) registrou o maior ganho no rendimento médio real do trabalhador. Em seguida aparece Recife (5,3%) e Porto Alegre (0,5%).

Frente a julho a variação também foi negativa

Aprenda a investir na bolsa

Seguindo a mesma tendência da comparação com agosto de 2003, a variação salarial mensal também caiu frente a julho deste ano. A queda apurada pelo Instituto entre julho e agosto de 2004 foi de 1,4%, ou seja, se em julho o rendimento foi de R$ R$ 905,97, em agosto caiu para R$ 893,10.

Nessa comparação, os mais prejudicados foram novamente os trabalhadores do Rio de Janeiro (-2,6%). As demais quedas ocorreram em Salvador (-2,1%), São Paulo (-1,5%) e Porto Alegre (-1,2%). Entretanto, tiveram ganho real as regiões metropolitanas do Recife (3,1%) e de Belo Horizonte (1,8%).

Trabalhadores sem carteira assinada são beneficiados

Outra queda registrada foi a do rendimento dos trabalhadores com carteira de trabalho assinada no setor privado. A queda ocorreu tanto na comparação mensal (1,6%), quanto no confronto com agosto do ano passado (0,9%). O salário mensal desses trabalhadores ficou R$ 925,50 no mês de agosto.

Os únicos beneficiados no mês passado foram os trabalhadores sem carteira assinada, já que para eles o rendimento médio real subiu 0,9% em relação a julho. Entretanto, frente a agosto de 2003 foi registrada queda de 2,9%. Para estes, o rendimento médio no mês passado ficou em R$ 581,30.