Redes sociais também fazem parte do portfólio, diz especialista

"Por isso é preciso prudência com o que se coloca na rede", adverte headhunter e professor da Veris IBTA

SÃO PAULO – Os tempos mudaram e quando o assunto é carreiras é preciso acompanhar as tendências, o que inclui atualizar o portfólio.

De acordo com o headhunter e professor de gestão em RH (Recursos Humanos) da Veris IBTA, Cristiano Rosa, cada vez mais está surgindo um outro formato de portfólio, que considera, inclusive, o que as pessoas postam nas mídias sociais.

“Antigamente, o portfólio era formado por diplomas e alguns trabalhos realizados pelo profissional (…) Esse formato ainda é interessante, mas hoje as mídias sociais também funcionam como portfólio. Por isso é preciso prudência com o que se coloca na rede”, adverte o professor.

PUBLICIDADE

O que observar?
Para que o portfólio seja interessante ao recrutador, o especialista lembra que, independentemente se o material é ou não virtual, é importante mostrar-se sempre atualizado, além de priorizar destacar os projetos mais recentes, sendo que ao escolher projetos para fazer parte do seu portfólio ou para ser destacado nas redes sociais, sempre é necessário observar a questão da confiabilidade no que diz respeito à empresa anterior.

Sobre as redes, visto que elas também acabam assumindo o papel de divulgar o trabalho do profissional, é essencial manter os perfis sempre atualizados, participar de grupos de discussões relevantes para a profissão, bem como compartilhar links interessantes.

Ao participar de um processo seletivo, contudo, lembra o especialista, é muito importante que a pessoa estude o perfil da empresa, visto que em companhias mais tradicionais não apresentar um material físico pode contar pontos negativos ao candidato.