RADAR INFOMONEY Ações da Vale, Gerdau e Usiminas são vistas com otimismo por analistas antes de balanços; assista ao programa desta segunda

Ações da Vale, Gerdau e Usiminas são vistas com otimismo por analistas antes de balanços; assista ao programa desta segunda

Profissionais brasileiros lideram uso de tecnologia e redes sociais

Segundo pesquisa, o Brasil é o que mais utiliza tecnologias de consumo tanto para trabalho como para atividades pessoais

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os profissionais do Brasil são os que mais utilizam tecnologias como celulares, smartphones, notebooks e redes sociais tanto para trabalho como para atividades pessoais. É o que aponta um estudo realizado pela Unisys em parceria com o IDC (International Data Corporation).

Os dados apontam que 63% dos brasileiros usam celulares para tratar temas pessoais e de trabalho. Já nos EUA, essa porcentagem é de 40%, enquanto na Europa é de 45%. Na Austrália e na Nova Zelândia, o índice é de 42%.

Em relação ao smartphone, a porcentagem dos brasileiros é de 25%. Nos EUA, Europa, Austrália e Nova Zelândia, os índices são de 15%, 19% e 14%, respectivamente.

Aprenda a investir na bolsa

Redes sociais
No caso das redes sociais, 15% dos profissionais do Brasil utilizam o Facebook e My Space para a vida pessoal e profissional. Nos EUA, esse número cai para 3% e na Europa, para 6%. Na Austrália e na Nova Zelândia, a porcentagem é de 5%.

Para se ter uma ideia, 20% dos brasileiros participam do Twitter para questões relacionadas ao trabalho e para atividades pessoais. Nos outros países citados acima, 3% utilizam para ambas razões.

Já a tecnologia VoIP, como o Skype, é amplamente usada pelo Brasil também para questões pessoais e de trabalho, com 32%. Nos Estados Unidos, apenas 7% utilizam este tipo de comunicação, enquanto na Europa este número é de 16% e na Austrália e Nova Zelândia é de 17%.

Os brasileiros também afirmam que acessam páginas de redes sociais ao menos uma vez ao dia para trabalhar, com 19%, enquanto 3% dos americanos, 7% dos europeus e 5% dos entrevistados da Austrália e Nova Zelândia indicaram utilizar estas ferramentas.

“Estas comparações com outras regiões do mundo mostram como estas tecnologias estão incorporadas ao dia a dia do brasileiro, especialmente daqueles que vivem nos grandes centros urbanos, e como eles se tornaram grandes usuários da tecnologia, tanto no trabalho, como em suas vidas particulares”, afirma o diretor de negócios da área de Outsourcing e Serviços de Infraestrutura da Unisys Brasil e América Latina, Paulo Roberto Carvalho.

Acesso ao e-mail
Os dados apontam ainda que 36% os profissionais brasileiros checam seus e-mails do trabalho quando estão em aviões – quase o dobro dos australianos e neozelandeses (19%) e ultrapassando os europeus (24%) e os norte-americanos (22%). 

PUBLICIDADE

Além disso, 21% dos brasileiros disseram checar suas caixas de e-mail enquanto estão dirigindo carro – mais uma vez, quase o dobro do número obtido na Austrália e Nova Zelândia (11%) e superando os 15% dos entrevistados nos Estados Unidos e Europa.

“Estes dados sobre o uso da tecnologia para fins de trabalho de qualquer lugar demonstram ainda mais que a consumerização de TI já é uma realidade tanto para os funcionários como para as organizações no Brasil, que precisam cada vez mais entendê-la e explorá-la”, diz Carvalho.

Sobre o estudo
No Brasil, a pesquisa foi realizada com 301 profissionais, usuários de aparelhos existentes no mercado (celulares, smartphones, palms, laptops e etc.) e redes sociais (blogs, Twitter, Facebook e etc.), das seguintes cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Porto Alegre, Belo Horizonte, Curitiba, Salvador e Fortaleza. No total, participaram 2.820 pessoas de 10 países.