Procura emprego? Saiba que currículos extravagantes assustam empresas

"Super Currículo" tem menor probabilidade de agradar empregadores que valorizam a qualificação com objetividade

SÃO PAULO – O currículo é a porta de entrada para um profissional conseguir uma posição em determinada empresa, por isso, quanto mais competências estiverem descritas no resumo, maiores serão as chances de sucesso, certo? Errado.

Um levantamento realizado pelo portal de classificados de empregos e currículos Infojobs (www.infojobs.com.br) mostrou que os candidatos que apostam no “Super Currículo”, dotados de competências sofisticadas, têm menor probabilidade de encontrar emprego na avaliação dos empregadores que valorizam a qualificação com objetividade.

“O fato é que muitos acreditam que, em um mercado cada vez mais exigente, valorizar e incluir o máximo de cursos e experiências pode abrir portas, mas acontece exatamente o contrário. Evitamos recolocar profissionais em posições menores, onde há mais vagas, por mais que eles se mostrem dispostos a aceitar”, afirma a gerente de RH (Recursos Humanos) da Laselva, Tânia Bueno.

PUBLICIDADE

Uma porta sem fechadura
Fato consumado é que muitos profissionais, ao viverem o período de recolocação, acabam ficando desmotivados e com o foco, digamos, um pouco embaçado.

É o caso, por exemplo, de um indivíduo com mestrado e doutorado que se candidata para uma vaga de assistente de Marketing. Dessa forma, o lugar desse profissional deveria ser na área acadêmica ou já estar inserido no mercado de trabalho, em sua área de atuação, antes de optar por realizar uma especialização.

“Muitas empresas temem contratar alguém com tantas competências, por desconfiar que possa haver algo de errado com o profissional”, diz a diretora-geral da Anuntis/Infojobs no Brasil, Cecília Rojas.

Segundo a Infojobs, o ideal é que o profissional busque a qualificação para atender a vaga que queira ocupar e não buscar superqualificar-se, para não gerar dúvida no empregador. Um currículo, aponta Tânia, deve manter um equilíbrio entre experiência e qualificação, que vai gerar a competência necessária para conquistar a vaga de emprego.

“Muitos profissionais apresentam um currículo acadêmico invejável, mas não têm experiência profissional para equilibrar ou o inverso: têm experiência, mas falta a especialização”, explica.

Velocidade on-line
De acordo com a Infojobs, uma nova oportunidade de emprego é cadastrada por minuto na internet, além de ser visualizada a cada 0,27 segundo. Além disso, 13 currículos são analisados por segundo e cinco candidatos são pré-selecionados ao mesmo tempo. Nos últimos três meses, foram 41 milhões de vagas buscadas.

As empresas dos segmentos Comercial, Indústria e Construção, Tecnologia e Telecomunicações e Gastronomia e Restaurante em todos os níveis hierárquicos são as que mais oferecem vagas no portal.

Mais da metade (54%) dos cerca de 4 milhões de currículos cadastrados no Infojobs é de candidatos com 1º e 2º grau completo. Por outro lado, os usuários com ensino superior em andamento ou incompleto representam 900 mil e, por fim, existem 750 mil profissionais com graduação completa e 250 mil com pós-graduação.