Minha carreira

Os 6 passos para fazer uma transição de carreira de sucesso

Rebeca Toyama compartilha como o profissional deve se preparar para mudar completamente os rumos da vida profissional

Mudança de carreira, homem na dúvida, homem sem sabre qual caminho seguir
(GettyImages/Delpixart)
Aprenda a investir na bolsa

Pergunta do leitor: “Como me preparar para uma transição de carreira?”

Resposta de Rebeca Toyama*:  

“Vários são os motivos que levam um profissional a querer uma transição de carreira: o descontentamento com a atual posição, a necessidade de ter novas experiências ou alguma mudança na vida pessoal. Independentemente da causa, ter clareza de onde estamos e aonde queremos chegar é fundamental.

Aprenda a investir na bolsa

Se você já tomou essa decisão, então é hora de planejar. A seguir estão as seis principais orientações que costumo passar aos meus clientes em transição de carreira:

1. Inventário de competências

A primeira etapa tem como objetivo gerar mais repertório e segurança nas futuras entrevistas e clareza na hora de elaborar seu novo currículo. Para isso separe suas competências em três categorias:

  • Conhecimento: numa planilha coloque todos os cursos que você já fez em ordem cronológica. Para cada um registre frases curtas que expressem o que você aprendeu, quanto maior o curso mais itens devem ser identificados.
  • Experiência: em outra planilha registre todos seus empregos e trabalhos em ordem cronológica. Para cada um registre suas 3 principais conquistas de forma qualitativa. E para cada uma delas o resultado quantitativo que demonstre ou valide tal conquista. Para cada emprego coloque seus 3 principais aprendizados ou erros, e também inclua o motivo de saída.
  • Soft skill: faça uma lista de suas habilidades comportamentais e outra lista com os pontos fracos. Ficar sem essa resposta na hora da entrevista pode mostrar imaturidade profissional.

2. Mapeamento de mercado

Vai servir para evitar distração com treinamentos desnecessários, ajudar no planejamento de seu aprimoramento profissional e focar na prospecção de oportunidades.

  • Faça um exercício listando o que você gostaria de encontrar em seu próximo emprego e uma lista com o que você não está mais disposto de encontrar.
  • Depois liste quais empresas e em quais setores você gostaria de atuar. Para cada item dessa lista extraia do inventário de competências o que você possui de atrativo. Em seguida registre quais as possíveis lacunas para cada item da lista.
  • Pesquise nessas empresas e setores quais são os títulos mais adequados para a vaga que você gostaria e está apto a ocupar. Essa informação é um detalhe bastante relevante em seu currículo e na busca de vagas.

3. Elaboração e atualização de materiais

O inventário de competências representa onde você está, o mapeamento de mercado aponta aonde você quer chegar e o novo currículo deve ser visto como seu passaporte de entrada.

  • Seu currículo deve ser sintético e objetivo e deve instigar o leitor a querer conhecer mais sobre você.
  • Assim que o novo currículo estiver pronto, o LinkedIn deve ser atualizado, incluindo sua foto.
  • Revise o conteúdo e seu comportamento das demais redes sociais, e observe se há coerência em seu comportamento digital.

Vamos lembrar que não adianta ter apenas um bom conteúdo, é preciso conseguir passar sua proposta de valor. Essa regra vale para os profissionais em transição ou não.

4. Ampliação de network

Pessoas são fundamentais em qualquer uma de nossas realizações, numa transição de carreira não seria diferente. Dessa maneira, ponha em sua rotina os seguintes passos:

  • Conectar e interagir com pessoas interessantes nas redes sociais, principalmente, no LinkedIn.
  • Restabelecer contato com colegas de faculdade, colegas de trabalhos anteriores para compartilhar seu momento. Peça conselhos sobre sua carreira ou dicas sobre seu currículo e evite pedir emprego diretamente.
  • Participar de eventos e grupos de discussão para conhecer pessoas novas em sua área de interesse. Elabore uma narrativa positiva sobre sua carreira e o motivo de sua transição.

PUBLICIDADE

Quanto mais você for visto, mais será lembrado. Inúmeras pesquisas mostram que a maioria das contratações acontecem por indicação, portanto, quanto mais pessoas você conhecer, maior será a probabilidade de ser contratado.

5. Prospecção de vagas e oportunidades

Essa próxima etapa é muito importante. Após preparar todo o terreno, é hora de colocar a mão na massa em busca de vagas.

  • Dedique uma parte de seu dia para se aplicar e prospectar vagas. São inúmeras as fontes de vagas, além dos sites das próprias empresas.
  • Agende conversas com headhunters que atuam na sua área de interesse, cuidado com os oportunistas que se passam por headhunter para vender algum tipo de serviço.
  • Simule entrevistas, grave, assista, aprimore e simule novamente.
  • Não hesite em aprimorar seu currículo sempre que observar uma oportunidade de melhoria.
  • Procure ser o mais pessoal possível quando encaminhar seu currículo. Escreva um texto que a pessoa ao ler sinta que foi escrito para aquela vaga naquela empresa.

Sim, é uma maratona que demanda dedicação diária, como em qualquer outra conquista importante em nossa vida.

6. Cuide de seu bem-estar

Você contrataria alguém estressado, cansado, irritado ou doente? Provavelmente, não. Portanto, ter qualidade de vida faz parte de uma boa transição de carreira.

Mostrar paixão por si mesmo e pelo que faz, demonstra que você encontrou um sentido para sua carreira. Isso costuma ser uma característica presente em profissionais de alta performance.

Pessoas que apresentam uma narrativa positiva de sua jornada pessoal e profissional costumam ter mais destaque. Você contrataria uma pessoa com uma postura de vítima ou alguém que não soube transformar dificuldades em aprendizados?

Essa última dica costuma ser a menos lembrada durante qualquer tipo de transição, afinal nessas fases existem tantas outras demandas mais urgentes. Porém, o que a experiência tem mostrado é que a item seis tem sido cada vez mais considerado pelas empresas, que já entenderam que contratar apenas pelo currículo (hard skill), gera inúmeras demissões por comportamento (soft skill).

Sua carreira não deve ser conduzida com a impulsividade de um jogador de truco, mas sim com a estratégia de um jogador de xadrez”

PUBLICIDADE

Quer tirar alguma dúvida sobre carreira? Envie sua pergunta para o e-mail carreira@infomoney.com.br. A próxima resposta dos nossos especialistas pode ser a sua!

*Rebeca Toyama é especialista em estratégia de carreira e educação corporativa. Mentora e palestrante formada em administração, psicologia, marketing e tecnologia. 

Newsletter InfoMoney
Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.