Desemprego

Os 11 cargos mais difíceis para se recolocar no mercado

Trabalhadores dos setores de construção, varejo e comércio exterior estão entre aqueles que não conseguem encontrar emprego

SÃO PAULO – O ano de 2015, com certeza, não está sendo bom para o mercado de trabalho. Só no mês de maio, a população desocupada cresceu 4,8% em relação a abril, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Apesar de vários setores estarem sofrendo com as demissões, como o varejo, mineração e automobilístico, existem profissionais que estão com dificuldades para se recolocar no mercado.

De acordo com uma pesquisa da consultoria Page Personnel, para algumas profissões, o tempo de espera para se conseguir um emprego durar até um ano, caso de supervisor de obra.

PUBLICIDADE

O gerente executivo da Page Personnel, Ricardo Ribas, o que atrapalha são as vagas congeladas ou fechadas, processos de contratação mais longos e mais profissionais disponíveis no mercado.

“Esse cenário está impactando diretamente nas ofertas de trabalho neste ano. Como há mais pessoas à procura de emprego e menos vagas abertas, o tempo de recolocação se tornou maior. São casos onde a espera pode levar de seis meses a um ano. Isto não acontecia desde 2009”, explica.

Veja abaixo as 11 profissões listadas pela consultoria que estão com dificuldades de contratação: 

Supervisor de Obra
Salário: de R$ 7.000 a R$ 15.000
Tempo médio de recolocação: de 6 meses a 1 ano
O que faz: acompanhamento da obra, supervisionando todas as etapas da obra
Setor: Construção Civil
Motivo: o setor imobiliário passa por um momento de diminuição de novos lançamentos, frente ao grande volume de obras já lançadas e alta taxa de vacância. Este cenário é muito impactado no setor residencial, que envolve o consumidor final. 

Engenheiro de Projetos Industriais
Salário: de R$ 8.000 a R$ 11.000
Tempo médio de recolocação: 6 meses
O que faz: coordenação de projetos dentro do portfólio de investimento da empresa, incluindo reformas, ampliações e readequações de infraestrutura
Setor: Industrial
Motivo: devido ao cenário econômico atual, a indústria passa por uma queda acentuada de investimentos em bens de capital e ampliações pelo recuo das atividades de produção. Neste momento as empresas estão sendo mais cautelosas frente a lançamentos de novos produtos e até mesmo ampliações de linhas, priorizando a aplicação de capital em áreas como manutenção e processos.

Profissional de Comércio Exterior
Salário: de R$ 3.000 a R$ 6.000
Tempo médio de recolocação: de 6 meses a 1 ano
O que faz: lida com processos de comércio exterior, documentação e garantia de entrega e recebimento do produto desde a origem ao destino final
Setor: Indústria
Motivo: e omento da indústria nacional com baixa demanda de produção e redução de linhas.

PUBLICIDADE

Analista Sênior e Coordenador Administrativo Financeiro
Salário: de R$ 6.000 a R$ 8.000
Tempo médio de recolocação: 6 meses
O que faz: supervisiona e coordena rotinas financeiras de tesouraria, podendo ter gestão sobre áreas de TI, RH e Facilities
Setor: Indústria e Serviços
Motivo: englobando atividades em diversas áreas, esse profissional é um braço de confiança de pequenas e médias empresas; com isso, a escolha pode demorar mais ou vir através de uma indicação pessoal.

Analista Contábil Pleno
Salário: de R$ 3.500 a R$ 5.000
Tempo médio de recolocação: 6 meses
O que faz: Operacionaliza rotinas contábeis como análises, classificações e conciliações, ajudando na composição de balanços e balancetes
Setor: Indústria e Serviços
Motivo: Apesar de ser um dos cargos com maior demanda na área de finanças, a falta de boa qualificação e um segundo idioma dificulta a recolocação desse profissional.

Gerente de Vendas
Salário: de R$ 7.000 a R$ 12.000
Tempo médio de recolocação: 6 meses
O que faz: supervisiona equipe de vendas, se envolve em negociações com grandes clientes, análise de vendas
Setor: Indústria e Serviços
Motivo: estruturas hierárquicas com menos posições gerenciais

Analista e Coordenador de Marketing
Salário: de R$ 4.000 a R$ 8.000
Tempo médio de recolocação: 6 meses
O que faz: profissionais que cuidam de comunicação interna ou externa.
Setor: Indústria e Serviços
Motivo: marketing é sempre uma área afetada no momento de retração de mercado, as áreas de produtos e mais analíticas se mantém nesses momento, mas a área de comunicação sempre é mais comprometida.

Secretária Executiva
Salário: R$ 6.000
Tempo médio de recolocação: 6 meses
O que faz: assessoria aos executivos. Suporte em questões como: controle de agenda, logística de viagem, resolução de questões particulares e familiares, tradução de materiais e participação em reuniões.
Setor: Indústria e Grandes Empresas
Motivo: as empresas fizeram uma forte reestruturação em todas as área e a área de secretariado foi igualmente prejudicando. Secretárias acumularam funções de outras, passando a assessorar de 2 a 3 executivos e com isto as demais ficam no mercado, que não oferece muitas oportunidades para estas profissionais.

Analista de Suporte
Salário: de R$ 3.000 a R$ 4.500
Tempo médio de recolocação: 5 meses
O que faz:atendimento e resolução de chamados, contato com o usuário, registro de chamadas (em inglês), resolução de problemas técnicos e operacionais.
Setor: Consultorias de Grande Porte
Motivo: por mais que grandes empresas tenham um volume alto demandado de profissionais de suporte, a grande maioria delas para aumento de eficiência tem buscado profissionais com espanhol e inglês fluentes, o que dificulta a facilidade de profissionais sem um segundo idioma em se recolocar.

Gestor de TI
Salário: de R$ 7.500 a R$ 10.000
Tempo médio de recolocação: 6 meses
O que faz: gestão e negociação de contratos de fornecedores, gestão de terceiros e parceiros, gerir a área de TI, interagir com outras áreas para assuntos estratégicos, propor melhorias na área, conduzir projetos de tecnologia, identificar e administrar riscos.
Setor: todos os segmentos
Motivo: como são profissionais com a remuneração mais elevada e de perfil mais estratégico, as empresas tem demorado um pouco mais na tomada de decisão no momento em contratar esses profissionais.

Analista de Recrutamento e Seleção
Salário: de R$ 3.000 a R$ 5.000
Tempo médio de recolocação: 6 meses
O que faz: Análise de currículos, entrevistas por competências, divulgação de vaga, alinhamento das posições em aberto com seus respectivos gestores, testes comportamentais.
Setor: em todos os segmentos
Motivo: o mercado está mais cauteloso para contratações, com isso a área de recrutamento é diretamente afetada, pois se o mercado não está em busca por profissionais está área nas empresas fica mais ociosa e revela menos importância.