Primeiro emprego

Os 10 maiores erros cometidos por candidatos de 20 e poucos anos

Jovens da geração Y cometem uma série de erros na hora de procurar um emprego que resultam na falta de respeito à autoridade e envolvimento excessivo dos seus pais

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Já imaginou um candidato chegar 15 minutos atrasados para uma entrevista de emprego, não pedir desculpas e ainda perguntar para o entrevistador onde tinha uma lata de lixo para que ele pudesse jogar fora o chiclete.

Ou então a mãe de um estagiário que ligou para o chefe do filho perguntando porque ele não foi efetivado ao final do contrato. Segundo o coach Dani Ticktin Koplik, essas e outras situações parecidas são parte de uma série de histórias vividas por jovens da geração Y em busca de uma oportunidade de trabalho.

Em uma entrevista para a Revista Forbes, ele explica que jovens entre 20 e 30 anos cometem uma série de erros na hora de procurar um emprego que resultam na falta de respeito à autoridade e envolvimento excessivo dos seus pais. 

PUBLICIDADE

Veja abaixo os 10 maiores erros que os candidatos de 20 e poucos anos cometem:

1- Busca fácil 
Uma das consequências do excesso de envolvimento dos pais é que os jovens sentem que a busca pelo emprego é uma tarefa fácil. Koplik conta a história de um estagiário que no primeiro dia de trabalho informou a seu supervisor que ele deveria sair mais cedo toda quinta-feira por conta de suas aulas de equitação.

2-  Processo tardio
O ideal é que os estudantes universitários procurarem estágios significativos após o primeiro ano. Aqueles que assumem que vão conseguir um emprego sem muito esforço acabam esperando mais tempo para começar o processo de conseguir um trabalho.

3- Subutilização de contatos
Embora pais e amigos possam proporcionar bons contatos, é importante que o jovem tenha uma rede própria de profissionais conhecidos na faculdade ou na universidade.

4- Currículo desleixado
Candidatos jovens muitas vezes contam com noções básicas de currículo. Outro grande problema é que há uma descrição grande sobre o que eles querem, sem informações suficientes sobre o que o empregador precisa. Por exemplo, os jovens afirmam que “poderão usar suas habilidades, ideias e entusiasmo para aprender muito”. Quando a ênfase correta seria como eles podem ajudar o empregador.

5- Cartas de apresentação que repetem o currículo 
Muitos candidatos apenas repetem suas anotações do currículo em suas cartas de apresentação. Em vez disso, cartas de apresentação devem ser curtas e com informações específicas sobre o que o candidato pode trazer para o trabalho.

PUBLICIDADE

6- Pesquisa
Os candidatos muitas vezes apenas olham o site da empresa antes de uma entrevista. Ele deve procurar também notícias sobre a companhia, além de acompanhar informações nas redes sociais e procurar entender sobre o setor que a empresa atua.

7- Perfil nas redes sociais
Todo o conteúdo envolvendo amigos ou conhecidos bêbados nas redes sociais deve ser dispensados. Os estudantes devem ter um perfil bem completo no LinkedIn.

8- Não mostrar apreço pela entrevista
Os jovens muitas vezes não conseguem concluir uma entrevista com uma expressão de gratidão pela oportunidade. É sempre recomendável agradecer o entrevistador pessoalmente e deixar claro que você consideraria um privilégio trabalhar na empresa. 

9- Hierarquia
Koplik fala do estagiário que no final do seu tempo no trabalho em uma grande empresa disse a um diretor: “eu poderia lhe dar algum feedback sobre o meu estágio?”. Os jovens estão tão acostumados a participar das conversas que não conseguem entender a sua posição na hierarquia da companhia.

10- Depender demais de listagens e feiras de emprego 
Para Koplik, os jovens candidatos não devem perder muito tempo preenchendo fichas de emprego quando podem procurar conexões em comum com os recrutadores das oportunidades em questão, o que pode ser seu ponto de entrada na organização.