Oportunidades para executivos crescem, mas 2011 deve ser ano morno

Pesquisa mostra que somente em outubro houve uma alta de 4% nas contratações. Ritmo deve ser menor em 2011

SÃO PAULO – O mercado de trabalho para os executivos apresentou bom desempenho neste ano. Somente em outubro, as oportunidades cresceram 4%, frente ao mesmo mês do ano passado em todo o País, de acordo com levantamento realizado pela Right Management.

Para a diretora de Transição de Carreira da Right Management, Matilde Berna, o mercado para os executivos foi um reflexo do aquecimento do mercado geral, da economia em crescimento e dos incentivos fiscais do Governo, que elevaram o consumo.

Não à toa os destaques deste ano, na avaliação de Matilde, foram os segmentos de Varejo, Construção Civil e Indústria Automobilística. “Tivemos um mercado aquecido, mas isso já era esperado, apesar da crise do ano anterior, que muitos acreditavam que afetaria fortemente o País”, diz.

PUBLICIDADE

Crescimento em outubro
Considerando apenas o mês de outubro, a Indústria liderou as contratações em todo o País, respondendo por 48% das vagas preenchidas. Nesse segmento, destacaram-se a Indústria Automobilística, com 13,4% das ofertas, Construção Civil, com 15,2%, e Bens de Consumo e Farmacêutico, com 11,5% e 9%, respectivamente.

O setor de Serviços também ampliou as oportunidades para os executivos no décimo mês do ano. Dentre os segmentos, destacaram-se os de Tecnologia da Informação, que representou 34,7% das ofertas, e Telecomunicações, cujas contratações representaram 18,1% do total das vagas preenchidas.

2011, um ano morno
Se 2010 foi um ótimo período para os executivos em termos de oportunidades de trabalho, não se pode dizer com propriedade o mesmo do próximo ano. “O cenário para o próximo ano ainda está duvidoso”, afirma Matilde, para quem os investimentos serão mais moderados em 2011.

A diretora acredita que, com um possível aumento dos juros, um crescimento menos intenso da economia e com a intensificação da crise na Europa, os investimentos em diversos setores devem arrefecer. “Tudo isso deve fazer com que o mercado haja de maneira cautelosa”, acredita.

Apesar disso, ela acredita que segmentos como os de Varejo, Tecnologia da Informação, Petroquímica e de Alimentos devem ser destaques como os que mais devem contratar executivos em 2011. “Existe uma tendência para que esses setores recebam investimentos nos próximos anos”.

Imigrantes de “terno e gravata”
Com o mercado de trabalho desestabilizado em muitos países europeus, 2011 também deve ser um ano de imigração de “terno e gravata”. Matilde explica que, se essa crise piorar, existe uma grande possibilidade de executivos brasileiros que atuavam lá fora e mesmo estrangeiros desembarquem no País em busca de melhores oportunidades.

Essa imigração deve aquecer ainda mais o mercado de trabalho interno, tornando-o mais competitivo. “É preciso que os executivos fiquem atentos aos movimentos do mercado”, ressalta Matilde.