Oito dicas para não deixar a crise global chegar à sua carreira

Crise está afetando a todos, mas é importante evitar que isso aconteça com você. Nessas horas, o melhor a fazer é se prevenir!

SÃO PAULO – É só acompanhar o noticiário econômico para perceber: o assunto do momento é a crise e os riscos de aumento do desemprego, com as empresas optando por demitir e reduzir custos para sanar os problemas de caixa.

A crise está afetando a todos, mas é importante evitar que isso aconteça com você. Os sócios da consultoria de processos seletivos Steer Recursos Humanos, Ivan Witt e Priscila Oliveira, elaboraram, para o portal InfoMoney, oito dicas para não deixar a crise chegar à sua carreira.

Dicas

Confira dicas para cada situação enfrentada na carreira:

  1. Para quem está desempregado: Para começar, você não está desempregado, e sim disponível para uma nova oportunidade. Atitude positiva é imprescindível. Tenha disciplina e nunca desista de buscar por uma colocação. Para os bons profissionais, sempre há espaço. Pode ser que seja o momento certo para colocar em prática seu “plano B”, que pode ser abrir seu próprio negócio, ser prestador de serviço (no lugar de ter carteira assinada) ou até mudar de cidade, estado ou país. Mas, para saber ao certo o que fazer, é importante procurar a assessoria de uma consultoria ou elaborar um plano pessoal de recolocação consistente;
  2. PUBLICIDADE

  3. Para quem corre o risco de ser demitido, porque a empresa passa por dificuldade: Certifique-se de que está fazendo o seu melhor. Atitudes temerosas, desânimo e demonstrações de desinteresse apenas aumentarão suas chances de ser demitido;
  4. Para quem quer estudar, mas está sem dinheiro: Busque cursos e palestras gratuitos. Existem ótimos promovidos por entidades sérias. Outra alternativa é formar grupo de interessados e pleitear um desconto;
  5. Para quem está insatisfeito com o emprego: Pense em um plano cuidadoso para que possa mudar de emprego, envolvendo contatos com pessoas-chave em seu networking. Mas, antes, investigue se seu mercado de atuação está aquecido para os profissionais, isto é, contratando. Se não se sentir capaz de planejar essa mudança, procure a assistência de uma consultoria;
  6. Para quem trabalha em uma empresa que passa por mudanças estruturais, como uma fusão: Sua reputação não se fez em alguns dias. Não adianta tentar mudar o resultado do seu trabalho só nos momentos decisivos. O que garantirá seu emprego será a demonstração de sua capacidade profissional, a entrega de resultados satisfatórios e uma postura proativa diante das adversidades. Momentos de crise são ótimas oportunidades para que você demonstre sua capacidade de superar as expectativas. Aproveite para ir além de seus limites!
  7. Para quem ganha pouco: Entenda se você ganha pouco porque possui pouca experiência ou porque sua empresa não está alinhada com as demais empresas do setor. Pesquisas de mercado podem auxiliá-lo a entender esse ponto. Se você chegou à conclusão de que, apesar de entregar resultados à empresa, recebe um salário abaixo da média do mercado, vale a pena conversar com seu superior. O salário de um funcionário precisa ser proporcional à sua capacidade de gerar retorno ao investimento (salário);
  8. Para quem a pressão aumentou, bem como o volume de trabalho: Em momentos difíceis é que se mede a capacidade de um profissional de resolver problemas complexos. Trabalhar sob pressão é uma constante em mercados competitivos e o profissional deve habituar-se a essa condição. Na crise, o volume de trabalho aumenta, porque, além da estratégia traçada, é preciso implementar ações de contenção e até mesmo mudar as regras do jogo. Profissionais experientes levam vantagem, pois já enfrentaram situações parecidas antes. Àqueles que enfrentam uma crise pela primeira vez, o conselho é manter a calma e continuar fazendo seu melhor, sem esquecer de pensar no longo prazo, no período pós-crise;
  9. Para quem deve receber um bônus menor: O bônus, normalmente, está atrelado ao cumprimento de objetivos. Se o objetivo não foi alcançado, mesmo que a causa seja externa, é normal que seja menor ou mesmo inexistente. A dica é: dê seu melhor e tente superar as adversidades externas. Caso não consiga atingir a meta, que seja por um fator externo, e não por conta do desempenho. Não se ganha sempre! O importante é não desanimar e continuar tentando se superar!