Em carreira

Carreiras: até quando a graduação é suficiente?

Observar atentamente a área de atuação pode auxiliar quem tem dúvidas sobre o que fazer para aprimorar o currículo, diz especialista

SÃO PAULO – Após um tempo de formado, ao disputar uma vaga de emprego, muitos profissionais começam a pensar se a graduação, sozinha, ainda traz resultados. Para outros, a dúvida surge ainda mais cedo, enquanto estão cursando a faculdade. Mas, afinal, até quando o curso de graduação é suficiente?

De acordo com o diretor executivo da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Marshal Raffa, os profissionais não devem confiar somente na faculdade na hora de disputar uma vaga no mercado de trabalho, procurando se atualizar constantemente.

“A graduação nunca é suficiente para manter o emprego ou a empregabilidade. É preciso se atualizar sempre”, ressalta.

Educação Permanente
O diretor da Catho Educação, Constantino Cavalheiro, concorda com Raffa. Para ele, o mercado atual é muito exigente, fazendo-se necessária a educação permanente.

Segundo Cavalheiro, a graduação basta nos primeiros anos após a conclusão do curso, quando o profissional está iniciando no mercado de trabalho e ainda não possui muita experiência.

"Há algumas décadas, ter realizado um curso de graduação era o suficiente para um profissional, em termos de formação acadêmica, garantir uma carreira promissora. Alguns anos atrás, fluência no idioma inglês e educação continuada começaram a ser diferenciais cada vez mais solicitados pelas empresas (...) O profissional do século XXI deve estar muito bem informado e possuir elevado nível de conhecimento", diz.

O que fazer?
Na opinião de Raffa, observar atentamente a área de atuação pode auxiliar quem tem dúvidas sobre o que fazer para aprimorar o currículo.

Em áreas mais voltadas à pesquisa, por exemplo, fazer um mestrado ou doutorado pode ajudar. Já naqueles mais técnicos, uma especialização ou um MBA podem ser mais indicados.

Entretanto, alerta Cavalheiro, antes de iniciar um curso de pós-graduação, o ideal é que a pessoa tenha alguma experiência profissional, visto que, dessa forma, poderá aproveitar melhor o curso, comparando aquilo que está estudando com a experiência que possui e as atividades que realiza na empresa.

"Novos conhecimentos possibilitam repensar a forma como o trabalho é realizado, podendo trazer aumento de produtividade do profissional e da equipe na qual está inserido", argumenta o diretor da Catho Educação.

Competências
As competências são outros quesitos que merecem um olhar mais cuidadoso dos profissionais. Liderança e trabalho em equipe são sempre importantes. Porém, é preciso estudar quais as competências necessárias para a carreira, função ou cargo que a pessoa ocupa.

“As pessoas devem focar em quais são as competências exigidas para a função que exerce, o cargo que ocupa ou mesmo quais são valorizadas na empresa em que trabalha. Geralmente, os profissionais olham somente aquelas que acreditam ser melhores, o que nem sempre traz resultados”, explica.

 

Contato