Micro e pequenas empresas criaram 80% das vagas de emprego em janeiro

Quase 70% das vagas criadas em janeiro foi gerada por empreendimentos que empregam até quatro trabalhadores

SÃO PAULO – As micro e pequenas empresas foram responsáveis por 79,8% das vagas de trabalho com carteira assinada criadas no Brasil em janeiro deste ano, segundo levantamento feito pelo Sebrae com base no Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Das 152.091 vagas criadas no início do ano, 121.368 foram geradas por negócios com, no máximo, 99 funcionários.

Quase 70% das vagas criadas em janeiro foram gerada por empreendimentos que empregam até quatro trabalhadores, seguidos por aqueles que empregam entre 20 e 99 funcionários, que têm 7,9% do saldo total.

As empresas que empregam entre cinco e 19 trabalhadores foram responsáveis por 2,3% das contratações. O presidente do Sebrae, Luiz Barreto, reforça a importância do papel das micro e pequenas empresas como grandes geradores de emprego e renda no Brasil. “A estabilidade econômica que o país vive hoje, somada às oportunidades dos próximos anos, por conta dos grandes eventos, fará com que esses números sejam cada vez melhores”, falou à Agência Sebrae.

Análise por setor
Os setores que mais contribuíram para a geração de empregos em janeiro foram os serviços, a indústria de transformação e a construção civil, nesta ordem, sendo que serviços e indústria extrativa mineral registraram recordes no período analisado.

No setor de serviços foram criados 73.231 postos, um saldo recorde, sobretudo pelo aumento do emprego em cinco dos seis ramos que o integram. Já o bom desempenho da indústria de transformação no mês, com a criação de 53.027 vagas, é atribuído ao aumento do emprego nos 12 ramos que compõem o setor.

A agricultura também obteve um desempenho positivo, com aumento de 8.324 postos, contra 4.143 empregos gerados em janeiro de 2010. Os únicos setores que apresentaram queda no emprego foram o comércio e a administração pública, devido a fatores sazonais.

Dos 26 estados e no Distrito Federal, 21 expandiram o nível de emprego, com cinco assinalando recorde na criação de postos. Em termos absolutos, o estado de São Paulo liderou a geração de empregos, seguido por Rio Grande do Sul e Santa Catarina.