Mercado de trabalho: junho foi mês desfavorável em termos de contratações

Segundo Ricardo Xavier Recursos Humanos, foram criados 1.854 postos de trabalho em junho ante os 2.060 registrados em maio

SÃO PAULO – No mês de junho, houve uma queda de 10% das oportunidades de emprego em relação a maio deste ano. Segundo uma pesquisa da Ricardo Xavier Recursos Humanos, ao todo, foram criados 1.854 postos de trabalho no mês passado ante os 2.060 registrados no mês anterior.

Entretanto, segundo análise do estudo, a expectativa para os próximos meses é de que as contratações aumentem, uma vez que as medidas de incentivo anunciadas recentemente pelo Governo, como a redução do IPI (Imposto Sobre Produto Industrializados) para alguns produtos, já impulsionaram as contratações nas empresas beneficiadas com a medida.

“Muitas empresas que demitiram no auge da crise estão recontratando para conseguir dar conta da demanda. O setor automobilístico, em junho, alcançou recorde histórico com a venda de 290 mil unidades. Como a área industrial está aquecida, é natural que as empresas precisem cada vez mais de mão-de-obra qualificada”, destacou o presidente da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Hélio Terra.

PUBLICIDADE

A pesquisa também constatou que, do total de vagas oferecidas no mês de maio, 18% foram destinadas para os engenheiros.

Os profissionais mais procurados

A consultoria ressalta ainda que a área de Administração também se destacou no ranking dos mais procurados pelas empresas. Confira o ranking de maio último:

  1. Engenharia: 18%;
  2. Administração: 16%;
  3. Ciências Contábeis: 7%;
  4. Economia: 5%;
  5. Publicidade/ Propaganda e Marketing: 3%;
  6. Psicologia: 3%;
  7. Direito: 2%;
  8. Análise de Sistemas: 2%;
  9. Tecnologia da Informação: 2%;
  10. Arquitetura: 1%;
  11. Farmácia e Bioquímica: 1%;
  12. Comércio Exterior: 1%;

Já as áreas que mais abriram vagas foram:

  1. Administrativa: 15%;
  2. PUBLICIDADE

  3. Comercial: 15%;
  4. Financeira: 10%;
  5. Engenharia: 8%;
  6. Tecnologia da Informação: 5%;
  7. Industrial: 4%;
  8. Jurídica: 4%;
  9. Logística: 3%;
  10. Marketing: 3%;
  11. PUBLICIDADE

  12. Suprimentos: 2%;
  13. Saúde: 2%;
  14. Outras: 29%.

Nacionais x Multinacionais

No sexto mês do ano, as empresas brasileiras foram responsáveis por 82,% das ofertas de emprego no País. Já as empresas multinacionais disponibilizaram 17,5% do total de oportunidades no mercado de trabalho. Os outros 0,5% ficam por conta de empresas dos Estados Unidos e do continente Europeu que atuam apenas no Brasil e no país de origem.

Cidades

O levantamento também constatou que São Paulo e Grande SP ofereceram 29% das oportunidades de emprego do País em junho. Logo em seguida, aparecem Rio de Janeiro (21%), Paraná (14%), Bahia e Minas Gerais (11% cada), Campinas e algumas cidades de seus arredores (7%) e Rio Grande do Sul (6%).

Sobre a pesquisa

A pesquisa foi realizada com aproximadamente 1,5 mil empresas da base de dados da consultoria localizadas nos seguintes estados: São Paulo (capital, Grande SP, Campinas e arredores), Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Bahia. O período da pesquisa foi do dia 1° de junho ao dia 30 desse mês.