Medo de arriscar no trabalho? Saiba o momento certo de agir!

Antes de apresentar uma ideia ou sugestão arriscada, é preciso analisar a situação financeira da empresa, alerta especialista

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – É comum ouvirmos que os profissionais devem ter atitudes proativas e não ter medo de arriscar no trabalho e na carreira.

A consultora de Recursos Humanos do Grupo Soma Desenvolvimento Corporativo, Jane Souza, alerta sobre esse última sugestão. Para ela, ao assumir um risco, o profissional pode acabar por acarretar prejuízo à empresa ou até mesmo à carreira. 

“Ao falar em risco, é necessário ter cuidado. Existem profissões que não podem arriscar no trabalho, como um operador de bolsa, diferentemente de um publicitário. Tudo é relativo”, explica.

Aprenda a investir na bolsa

Use a experiência a seu favor
De acordo com Jane, o principal meio de avaliação sobre se vale a pena arriscar é a própria experiência. “Profissionais menos experientes costumam ser mais ansiosos”, diz.

O medo de arriscar por falta de coragem ou timidez pode ser prejudicial à carreira. Segundo Jane, ao comparar uma pessoa que arrisca mais com um profissional que nada sugere, é possível perceber que o tempo de alcance dos objetivos é diferente, pois aquela pessoa que tem medo demorará mais.

Momento certo de sugerir 
A sugestão mais arriscada deve ser bem avaliada antes de ser apresentada ao líder ou de ser colocada em ação.

A especialista afirma que, antes de apresentar uma ideia ou sugestão, é preciso analisar a cultura e a situação financeira da empresa, além de saber se o processo sugerido não será inviável porque atingirá a estrutura da equipe ou terá custo muito alto.

“Para buscar novos caminho ou sugerir algo novo, é necessário fazer um estudo de diversos fatores. Ao apresentar, o profissional deve estar preparado para responder dúvidas, além de apresentar dados completos, como custo e forma de operação”, orienta Jane.

Para poder sugerir novas ideias, uma das principais fontes é o cotidiano do profissional, mas cursos, workshops, palestras e livros também podem ajudar a encontrar respostas.

PUBLICIDADE