Maioria das responsáveis pela casa ganham menos de três salários mínimos

Segundo o IBGE, quase 30% da população ocupada de SP, POA, BH, Recife, Salvador e RJ são mulheres que sustentam o lar

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 78,6% das mulheres responsáveis por sustentar o lar recebem menos de 3 salários mínimos por mês.

Ainda segundo o levantamento, divulgado nesta quarta-feira (04), 8,7% destas mulheres ganham entre 3 e 5 mínimos e 12,7% recebem mais de 5 salários mínimos por mês.

Renda é maior do que das mulheres em geral

O rendimento médio recebido pelas principais responsáveis pelo sustento do domicílio atingiu R$ 927,10 em agosto deste ano, o que representa 11,6% a mais que a média de todas as mulheres ocupadas (R$ 830,87).

Aprenda a investir na bolsa

Segundo o IBGE, entre as mulheres responsáveis pelo sustento do lar, as que moram sozinha apresentaram a maior média de rendimento no oitavo mês do ano (R$ 1.270,08). Entre as que moram com o marido a média foi de R$ 867,35 e das que moram apenas com os filhos, R$ 827,36.

Perfil das responsáveis pelos lares

Ainda de acordo com o estudo, em agosto, 2,7 milhões de trabalhadoras eram as principais responsáveis pelos seus domicílios nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife e Porto Alegre, o que representa quase 30% da população feminina ocupada.

Em média, estas mulheres têm 43,5 anos e 8,7 anos de estudo. Em relação à jornada semanal de trabalho, o IBGE constatou que a média entre as principais responsáveis pelo domicílio é de 39,2 horas.

Além disso, 54,9% das mulheres responsáveis pelo sustento do lar eram brancas e 44,3% eram negras ou pardas. Segundo o levantamento, a maioria (50,6%) destas mulheres mora com os filhos, mas sem o marido. Outras 24,4% moram apenas com o marido e 17,5%, sozinha.

21,9% são trabalhadoras domésticas

Considerando o grau de formalização das principais responsáveis pelos domicílios, o IBGE constatou que 29% destas mulheres estão empregadas no setor privado, com carteira assinada. As trabalhadoras domésticas vêm em seguida, com 21,9% de participação.

Na seqüência vêm as autônomas, com 19,5% de participação; as militares/funcionárias públicas, com 15,3%; as empregadas informais do setor privado, com 10,3%; e as que possuem um negócio próprio, com 3,7%.

Análise regional

PUBLICIDADE

Entre as seis regiões metropolitanas analisadas, 40% das mulheres responsáveis pelo lar estão em São Paulo. Em segundo lugar vem o Rio de Janeiro, que concentra 23,1% destas mulheres.

A região metropolitana de Belo Horizonte vem na seqüência, com 11% das responsáveis pelo sustento do domicílio, seguida de Porto Alegre (10,6%), Salvador (8,9%) e Recife (6,4%).