Jornadas intensas de trabalho: confira os efeitos psicológicos!

Pessoa que não era agressiva, por exemplo, pode passar a ser, por causa da pressão no trabalho. Reverta a situação!

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Intensas jornadas de trabalho, acima de oito horas, não são mais novidade nas empresas, independentemente do porte ou do segmento em que atuam. À medida em que o nível hierárquico aumenta, a situação se agrava: alguns gestores esperam que os subordinados fiquem à disposição 24h por dia e que coloquem a carreira acima de tudo em suas vidas.

A reação para isso não poderia ser pior. Uma pessoa que não era agressiva, por exemplo, por causa da pressão no ambiente de trabalho, pode passar a reagir desta maneira. Com isso, os relacionamentos pessoais e, até mesmo, no emprego, começam a piorar. “A reação tem sempre o toque pessoal que é dado pela avaliação que se faz das situações”, explica a vice-presidente de projetos da ABQV (Associação Brasileira de Qualidade de Vida), Sâmia Simurro.

Segundo Sâmia, as melhorias na tecnologia, ao invés de disponibilizarem mais tempo para o homem moderno, acabaram por torná-lo mais competitivo. Para se manter no mercado, tem que fazer mais, com menos!

Efeitos psicológicos

Aprenda a investir na bolsa

Sâmia explicou que a pressão no trabalho gera ansiedade, sendo esta a grande culpada por tirar o bem estar físico e mental da pessoa. Esta característica, por mais simples que pareça, age diretamente na qualidade de vida das pessoas, causando presenteísmo (quando pessoa está em um lugar, mas com a mente em outro) na relação com a família e amigos.

“Muitas pessoas se entregam às empresas, fazem sacrifícios pessoais e alguns até deixam de viver, adiando projetos como casamento e filhos. Assim, os dias ficam mais curtos pelo excesso de afazeres e pela vida ocupada. Na verdade, é preciso estar atento para que o indivíduo possa reconhecer seus limites e estabelecer um ritmo que atenda satisfatoriamente as diferentes demandas”.

Questionada se as pessoas conseguem encontrar uma ligação entre esses efeitos psicológicos (ansiedade, agressividade, depressão, irritabilidade) à rotina massacrante, Sâmia disse que isso acontece somente quando elas enxergam que não têm mais tempo para viver a própria vida. Essa percepção, no entanto, demora a chegar, devido à dificuldade de muitos em se desligar do trabalho.

Minimizando os efeitos

Uma maneira de se livrar da pressão no trabalho, de acordo com Sâmia, é gerenciando os pensamentos negativos e catastróficos. “Muitas pessoas gastam energia preocupadas com os problemas que têm, em vez de procurarem alternativas de resolução. Isso eleva à tensão diária e impede uma visão menos negativa a respeito desses problemas”, explicou.
.

Ela disse que faz parte da natureza humana passar por dificuldades, mas o importante é minimizar seus efeitos: desenvolver uma postura otimista é a chave para lidar com a pressão.

Além disso, outra atitude fundamental é buscar meios de manter o equilíbrio nas diversas dimensões humanas (física, emocional, social, espiritual). Técnicas de meditação, atividade física e prática de uma religião podem ser alternativas.

Bom para a mente, bom para o corpo

PUBLICIDADE

Aliviando os problemas psicológicos, atenua-se ainda os problemas físicos. “A pressão no trabalho pode manifestar-se através de sintomas emocionais, físicos ou mistos. Algumas doenças que estão relacionadas com isso são: as do aparelho digestivo, câncer, coronarianas, distúrbios do sono, entre outras”.

De acordo com pesquisas, 53% das doenças são provocadas por um estilo de vida não saudável e poderiam ser evitadas; 20% devem-se a fatores ambientais; 17% decorrem de uma tendência genética e apenas 10% estão ligadas à falta de assistência médica. Por isso, encare a pressão no trabalho de uma maneira positiva: sua mente e seu corpo agradecem!