Indústria paulista apresenta primeiros sinais recuperação

Índice divulgado aponta para o melhor maio desde 2007; no acumulado do ano, a indústria abriu 38.500 mil postos de trabalho

SÃO PAULO – A indústria paulista abriu 21 mil postos de trabalho em maio, o que representa uma crescimento de 0,80% no nível de emprego, frente ao mês anterior. Considerando o ajuste sazonal, o índice apresentou uma alta de 0,29%.

Nos últimos 12 meses, entretanto, foram fechadas 79.500 mil vagas no setor, baixa de 2,94% no nível de emprego, de acordo com pesquisa da Fiesp e do Ciesp (Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), divulgada nesta quinta-feira (14).

O levantamento também revelou que, somente nos cinco primeiros meses deste ano, o setor gerou 38.500 postos de trabalho, uma alta de 1,50% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

PUBLICIDADE

Do total de vagas criadas em maio, 16.773 são do setor de açúcar e álcool, o equivalente a uma taxa positiva de 0,64% no mês. Já a indústria de transformação foi responsável pela geração de 4.227 postos de trabalho no mês passado, com variação também positiva de 0,16%.

Com exceção dos anos da crise (2008 e 2009), a Fiesp avalia o resultado como o melhor maio para o emprego na indústria desde 2007, quando o índice apontou um ganho de 0,63%.

Por setor
Dos 22 setores analisados, 9 apresentaram desempenho positivo em maio, ante o mês anterior, sendo que os principais destaques ficaram com os Produtos Alimentícios (5,4%); Fabricação de Coque, de Produtos Derivados do Petróleo e de Biocombustíveis (3,5%);  Produtos Diversos (1,2%); Confecção de Artigos para Vestuário e Acessórios (0,9%) e Bebidas (0,6%).

Por outro lado, registraram queda os setores de Impressão e Reprodução de Gravações (-0,7%), Metalúrgia (-0,7%), Móveis (-0,6%) e de Couro e Fabricação de Artigos de Couro, Artigos de Viagens e Calçados (-0,5%). O setor de Produtos Farmoquímicos e Farmacêuticos e o de Produtos Químicos tiveram uma leve variação percentual de apenas 0,1% no mês.

No acumulado em 12 meses, os setores de Couro e Fabricação de Artigos de Couro, Artigos de Viagem e Calçados (-8,5%), Produtos Alimentícios (-6,4%), os Têxteis (-6,3%) são os destaques negativos.

Entre os resultados positivos, entretanto, estão os Produtos Farmoquímicos e Farmacêuticos (2,5%), Bebidas (2,2%) e os Produtos Químicos (2%).

PUBLICIDADE

Por regiões
Na análise regional, o levantamento revela que, das 36 diretorias pesquisadas, na comparação mensal, 22 apresentaram resultados positivos e 10 tiveram desempenhos negativos. O desempenho estável foi observado em quatro diretorias regionais.

Jaú liderou o aumento no nível de contratações em maio, ante o mês anterior, com alta de 5,7%. Em seguida, apareceram Araçatuba (4,9%), Piracicaba (3,8%) e Araraquara (3,4%). Americana, com queda de 1,2%, foi o destaque negativo.

Já em 12 meses, os destaques positivos foram Santos (6%), Bauru (5,1%) e Jacareí (4,9%). Entre os negativos, Marília se destacou, com -11,2%.