Indústria paulista abre 7 mil vagas de trabalho em maio, diz Fiesp

Contratações em 2005 já superam 100 mil pessoas, mas último resultado sugere queda na expansão do nível de emprego

SÃO PAULO – A indústria paulista abriu 7,038 mil novos postos de trabalho em maio, expandindo seu nível de emprego em 0,34%, na comparação com abril, segundo revela pesquisa divulgada pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) nesta quinta-feira (16). Este é o quinto mês seguido em que há saldo positivo nas admissões.

De acordo com a sondagem, as contratações no acumulado deste ano cresceram 2,45%, o que equivale à criação de 50,118 mil vagas profissionais. Nos últimos 12 meses, a evolução chega a 5,63%, com a admissão de 113,119 mil trabalhadores.

Alta menos intensa este ano

A expansão verificada no quinto mês do ano é a segunda menor de 2005, superando apenas a alta de 0,31% registrada em janeiro. Para efeito ilustrativo, em abril o contingente de mão-de-obra da indústria paulista havia aumentado em 0,61%.

Este desempenho menos favorável indica um processo de arrefecimento do ritmo de evolução do mercado de trabalho, o que é reafirmado ao se constatar que a variação positiva de maio é a menor para o período nos últimos seis anos.

O mesmo pode se concluir da análise dos números acumulados entre janeiro e maio de 2005 e a mesma época dos anos anteriores. O incremento de 2,45% constatado atualmente fica aquém da alta de 4,26% observada em igual período de 2004, e também abaixo dos resultados de 2003 (2,58%) e de 2001 (2,56%).

Considerando-se um período de tempo maior, contudo, os números da Fiesp revelam um cenário mais favorável. Nos últimos dois anos, por exemplo, houve queda mensal do total de trabalhadores da indústria paulista apenas em quatro oportunidades, sendo que a última delas foi em dezembro do ano passado.

Análise setorial

A trajetória ascendente das contratações decorre dos resultados positivos verificados em 22 sindicatos industriais do Estado de São Paulo. Em contrapartida, outras 16 entidades apresentaram saldo negativo, enquanto nove permaneceram estáveis no período.

Entre os segmentos analisados pela Fiesp, o ramo de proteção, tratamento e transformação de superfícies foi o que mais ampliou suas admissões em maio, com evolução de 3,78% da força de trabalho. Na segunda colocação aparece a categoria de bebidas em geral, com alta de 1,74%.

PUBLICIDADE

Já no outro extremo da lista, o setor de esquadrias e construções metálicas figura como o que mais fechou postos de trabalho no quinto mês do ano, com saldo negativo de 9,06%. Logo depois vem o segmento de calçados da cidade de Franca (-3,24%).