Indústria de carros: geração de emprego bate recorde; invista na carreira

De acordo com MTE, resultado de janeiro a outubro de 2007 é o melhor dos últimos sete anos; reflexo de um mercado aquecido

SÃO PAULO – Segundo o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), a geração de vagas nas empresas do setor automobilístico, de janeiro a outubro de 2007, é a melhor dos últimos sete anos. Como reflexo de um mercado aquecido, no período, foram criados 37.424 postos no segmento, resultado quatro vezes maior ao registrado no mesmo período do ano passado (7.581). Além disso, supera 2004, quando houve 36.512 contratações com carteira assinada.

Este ano, a indústria automobilística deve fechar com a marca de 2,9 milhões de veículos fabricados, volume 14% maior ao de 2006. Para o próximo ano, a expectativa é que a produção cresça pelo menos 8,9%, o que corresponde a 265 mil unidades.

De acordo com dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), o número de automóveis e comerciais leves emplacados em todo o Brasil registrou alta de 19,81% no décimo mês do ano, na comparação com setembro. Frente ao décimo mês de 2006 (166.802 emplacamentos), a alta foi de 39,42%.

Anos anteriores

PUBLICIDADE

“Sou um otimista e continuo acreditando que vamos ter um ampliação de 1,6 milhão de postos, superando a marca de 2004, quando o país teve um aumento de 1,5 milhão de postos”, disse o ministro do Trabalho, Carlos Lupi. A tabela abaixo mostra a geração de emprego somente no setor de fabricação e montagem de veículos, no período de janeiro a outubro:

AnoSaldo de empregos
200737.424
20067.581
200516.815
200436.512
20039.286
20023.884
20016.187
200015.560

Fonte: MTE

Profissão do futuro

Graças à grande oferta de crédito, aos prazos de pagamento cada vez maiores e aos juros mais baixos, a procura pelos automóveis tem crescido consideravelmente. Com isso, cresce também a contratação de profissionais ligados ao setor, o que faz de algumas carreiras automobilísticas “promissora”. Uma delas é a engenharia automotiva.

De acordo com o diretor do Comitê de Veículos de Passeio do Congresso SAE BRASIL 2007, Evandro Maciel, ela é a “bola da vez” . Basicamente, esses profissionais são responsáveis pela fabricação de peças e componentes de veículos que, após 1950, deixaram de ser importados.

“Engenharia com especialização automobilística é a profissão do presente. E pode ser a do futuro também. Acredito que, em um futuro próximo, o Brasil se firmará como um dos grandes centros de aplicação tecnológica no desenvolvimento e transformação de novos produtos automotivos, ao passo que EUA, Europa e Japão se tornarão, naturalmente, centros de desenvolvimento científico”.