Horas pagas na indústria brasileira voltam a subir em novembro, revela IBGE

Elevação foi de 4,6% sobre novembro de 2003; na relação mensal, horas pagas cresceram 2,0%

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O número de horas pagas aos trabalhadores da indústria registrou aumento em novembro em todas as análises realizadas pela Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salario (PIMES), divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), nesta segunda-feira (17).

O crescimento foi de 2% sobre o mês de outubro, já descontado o efeito sazonal. Mas o acréscimo é maior na relação anual, frente a novembro de 2003, quando chega a 4,6%. No acumulado do ano até novembro a alta é de 1,9%; e nos últimos doze meses, de 1,6%.

No que se refere à jornada média de trabalho, também houve aumento em todos os indicadores: 0,4% sobre outubro, 0,2% de janeiro a novembro, 0,2% nos últimos 12 meses.

Comparação por setores e regiões

PUBLICIDADE

De acordo com a pesquisa, o avanço de 4,6% no número de horas pagas, na comparação com novembro de 2003, foi determinado pela contribuição positiva de 13 dos 14 locais pesquisados, bem como de 13 dos 18 ramos analisados.

As pressões positivas partiram de alimentos e bebidas (6,6%), máquinas e equipamentos (16,3%) e meios de transporte (14,9%). Já indústrias de papel e gráfica (-2,1%) e vestuário (-1,5%), representaram as maiores influências negativas na análise anual.

Em termos regionais, São Paulo (4,7%), Nordeste (6,0%) e região Norte e Centro-Oeste (9,2%) foram as principais influências no resultado nacional, enquanto Rio de Janeiro (-0,5%), de uma forma geral, influenciou negativamente o número de horas pagas no setor, pressionado, principalmente, por alimentos e bebidas (-10,2%).

Na indústria paulista, as maiores contribuições vieram de máquinas e equipamentos (27,3%), alimentos e bebidas (12%) e meios de transporte (15,8%). Em São Paulo, houve aumento do número de horas pagas em 12 dos 18 ramos pesquisados pelo IBGE.