Em carreira / gestao-e-lideranca

Após resultado desastroso, acionistas do Facebook pedem demissão de Mark Zuckerberg

Empresa reportou na última quinta-feira (26) a maior queda na bolsa de uma empresa na história dos EUA

Mark Zuckerberg 2 - Facebook
(Beck Diefenbach/Reuters)

SÃO PAULO - Após reportar resultados desastrosos nos últimos meses, com escândalos de vazamento de dados, incluindo a saga da Cambridge Analytica, envolvimento Russo nas eleições americanas, fake news e queda na bolsa americana, os acionistas do Facebook estão pedindo a demissão de Mark Zuckerberg.

De acordo com o portal Business Insider, a gestora Trillium Asset Management, que tem cerca de US$ 11 milhões em ações do Facebook, enviou uma petição na última quarta-feira (25) para tirar Zuckerberg do cargo de CEO da companhia.

"Um CEO que também é presidente do Conselho da empresa pode exercer excessiva influência sobre o Conselho e sua agenda, enfraquecendo as decisões do restante do Conselho de administração", afirma a proposta. "Ao separarmos as posições de presidente do Conselho e CEO reduzimos esse conflito, e um Conselho independente permite uma separação de poderes mais clara entre o CEO e o restante do Conselho", completa.

As notícias da proposta vieram a público apenas algumas horas depois da divulgação do balanço do segundo trimestre, que fizeram as ações do Facebook caírem em queda livre na última quinta-feira (26), reportando a maior queda de uma empresa na história dos EUA, com perdas de US$ 119 bilhões

As chances de que o papel de Zuckerberg seja reduzido são poucas, uma vez que o Facebook já recusou pedidos similares de acionistas no passado. Em 2017, por exemplo, a proposta para tirar Zuckerberg do comando recebeu 51% dos votos. 

Além da derrocada das ações da empresa, a riqueza pessoal de Zuckerberg também sentiu o efeito: o bilionário perdeu US$ 15,7 bilhões considerando o pregão de ontem. 

Quer investir melhor o seu dinheiro? Abra uma conta na XP

 

Contato